Carregando...
DIARTNotícias

Vídeo Especial Temporada de Ópera | Cavalleria Rusticana | OSMG e CLMG

A Fundação Clóvis Salgado dá continuidade à Temporada de Ópera on-line com o lançamento de um vídeo inédito que reúne o Coral Lírico e a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais interpretando a ária Regina Coeli, laetare… Inneggiamo, il Signor non è morto!, momento mais emblemático da ópera Cavalleria Rusticana, do compositor italiano Pietro Mascagni. A produção, que vai ao ar pelas redes sociais da FCS no dia 28 de outubro de 2020, conta com o solo de Andreia de Paula, integrante do Coral Lírico, direção musical e regência do Maestro Titular da OSMG, Silvio Viegas, e da Maestrina Associada ao CLMG, Lara Tanaka, além da participação especial do maestro argentino Hernán Sanchéz. Este evento possui correalização da Appa – Arte e Cultura.

Diante do cenário de pandemia, as gravações da Orquestra Sinfônica e do Coral Lírico de Minas Gerais foram produzidas de forma prioritariamente digital, com os músicos da FCS gravando de suas casas. A filmagem externa, feita no Centro Técnico de Produção da Fundação Clóvis Salgado (CTP), em Sabará, captou as imagens da solista convidada para interpretar o papel da personagem Santuzza, Andreia de Paula, integrante do Coral Lírico de Minas Gerais, seguindo todas as normas de segurança para evitar a contaminação pela Covid-19.

A montagem do vídeo buscou, além da interpretação da ária, recriar a longa trajetória da FCS com a produção operística. Os figurinos utilizados pela solista durante a gravação foram produzidos para grandes óperas que marcaram a memória da instituição e do público, como NabuccoTurandotA Viúva AlegreAida e La Traviata. Em consonância com a indumentária, grandes cenários que já estiveram no palco do Grande Teatro durante as temporadas de óperas foram adaptados para a gravação.

Recriando óperas, revivendo histórias

Segundo Andreia de Paula, as gravações foram intensas e resultarão em um vídeo tão forte e belo quanto todo o esforço necessário para produzi-lo. “Foram mais de 12 horas de um trabalho em equipe, mediante um roteiro fantástico, que exigiu muita dedicação de todos os profissionais envolvidos”, destaca a solista, que conta mais detalhes sobre a megaprodução. “Foram várias trocas de figurinos, maquiagens e cenários. A equipe de criação foi impecável ao desenvolver um roteiro em que a personagem principal, Santuzza, uma mulher apaixonada e devota, se funde a tantas outras das mais fortes personagens das óperas mundiais, como Amnéris, Carmem, Abigaille, Hannah Glawari, Violeta e Turandot”, conta.

Para a solista, cada personagem traz um diferente peso para a história da ópera, mas elas carregam consigo uma semelhança. “Todas caminham para o amor. Em um dia, revivi os conflitos dessas personagens fortes, com histórias marcantes: ciúmes, disputas, guerras e mortes. Foi um misto de emoção, muita concentração e diversas sinestesias”, relata Andreia. “Ao experimentar ser cada uma delas, como artista, pude legitimar em nosso contexto de lutas, especialmente como mulher e como mulher negra, que nós também podemos ser quem quisermos”.

O trabalho em conjunto foi realizado com todos os cuidados previstos, e segundo Andreia de Paula, sinalizou um respiro em meio ao isolamento social. “Trabalhamos juntos, porém com atenção para todas as medidas preventivas. Após sete meses sem subir em um palco, reviver essa arte foi um alento nesses tempos de pandemia. Amo óperas, e interpretá-las é sempre uma grande emoção. Viver isso de uma forma diferente, então, foi incrível! Nosso espaço não era um palco, mas um lugar mágico, que abriga tantos cenários. Ali, além dos acervos, está toda a nossa expectativa de que tão logo poderemos reviver tudo isso nos palcos! Estar perto da nossa arte de novo me trouxe a esperança de que logo tudo vai passar”, celebra a solista.

Orquestração do cotidiano

Cavalleria Rusticana é uma ópera em um único ato de Pietro Mascagni, estreada em 17 de maio de 1890 no Teatro Costanzi, em Roma. É considerada a primeira de temática realista, movimento que dentro do gênero operístico assumiu o nome de Verismo, caracterizado por retratar as angústias e dores humanas, principalmente no que cabia às classes sociais mais baixas.

Segundo Silvio Viegas, Cavelleria Rusticana é um grande marco das óperas veristas. “Essa produção é, sem dúvida, a ópera que melhor representa esse movimento”, aponta o Maestro. A obra narra uma história de amor não correspondido, traição e vingança com as cores do temperamento forte do povo da Sicília, no sul da Itália. A ária escolhida para o vídeo narra uma história que se passa em um domingo de Páscoa, quando toda a cidade se reúne em oração na igreja, menos Santuzza, que, excomungada por cometer um ato de adultério, reza do lado de fora.

“A escolha dessa música se deve à beleza, emotividade e potência que transmite. Essas características musicais são capazes de destacar toda versatilidade musical da Orquestra e do Coro, além de dar a oportunidade de termos uma solista com a voz deslumbrante se apresentando”, destaca Viegas, que também aponta para uma particularidade importante da ária escolhida: “Nesse trecho, temos dois ambientes de Coro: um que está dentro da igreja e outro que está fora. Essa diferenciação também foi trabalhada na construção do áudio, com todo cuidado necessário”, conclui o Maestro.

A música, que consegue amalgamar um universo amplo e generoso com os sentimentos e angústias humanas, marca mais uma produção da FCS, que divulga, fomenta e reforça a importância da cultura para todos.

Temporada de Ópera on-line da Fundação Clóvis Salgado  Em 2020, período em que se une o começo da celebração dos 50 anos da Fundação Clóvis Salgado aos novos desafios e conquistas no universo digital, a tradição dos encontros com a arte operística toma diferente forma por meio da inédita Temporada de Ópera on-line. Planejada para o ambiente digital, a programação inaugura um novo modo de fazer, difundir e refletir sobre a ópera no Brasil e na América Latina, trazendo uma programação de debates, aulas, palestras, mostra de cinema, exposição de artes gráficas e exibição de vídeo inédito dos Corpos Artísticos da FCS.

Orquestra Sinfônica de Minas Gerais – Considerada uma das mais ativas do país, a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais cumpre o papel de difusora da música erudita, diversificando sua atuação em óperas, balés, concertos e apresentações ao ar livre, na capital e no interior de Minas Gerais. Criada em 1976, foi declarada Patrimônio Histórico e Cultural do Estado de Minas Gerais em 2013. Participa da política de difusão da música sinfônica promovida pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado, a partir da realização dos projetos Concertos no Parque, Concertos Comentados, Sinfônica ao Meio-dia, Sinfônica em Concerto, além de integrar as temporadas de óperas realizadas pela FCS. Mantém permanente aprimoramento da sua performance executando repertório que abrange todos os períodos da música sinfônica, além de grandes sucessos da música popular. Seu atual regente titular é Silvio Viegas.

Coral Lírico de Minas Gerais – O Coral Lírico de Minas Gerais é um dos raros grupos corais que possui programação artística permanente e interpreta repertório diversificado, incluindo motetos, óperas, oratórios e concertos sinfônico-corais. Participa da política de difusão do canto lírico promovida pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado (FCS), a partir da realização dos projetos Concertos no Parque, Lírico Sacro, Sarau ao Meio-dia e Lírico em Concerto, além de concertos em cidades do interior de Minas e capitais brasileiras, com entrada gratuita ou preços populares. Participa também das temporadas de óperas realizadas pela FCS. Já estiveram à frente do Coral os maestros Luiz Aguiar, Marcos Thadeu, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Ângela Pinto Coelho, Eliane Fajioli, Sílvio Viegas, Charles Roussin, Afrânio Lacerda, Márcio Miranda Pontes, Lincoln Andrade e Lara Tanaka. Criado em 1979, o Coral Lírico de Minas Gerais tornou-se Patrimônio do Estado em 2018 e comemorou quarenta anos em 2019.

 INFORMAÇÕES GERAIS 
 O quê? Vídeo Especial Temporada de Ópera | Cavalleria Rusticana | OSMG e CLMG
 Quando? 28/10
 Onde? Instagram e Facebook da Fundação Clóvis Salgado
 Entrada? Gratuita
 Informações para o público (31) 3236-7400