Carregando...
Notícias

Mostra Instante Suspenso | 6º Prêmio BDMG Cultural / FCS de curta-metragem de baixo orçamento

BDMG Cultural e a Fundação Clóvis Salgado realizam a mostra on-line Instante Suspenso, que exibirá os filmes vencedores do 6º Prêmio BDMG Cultural / FCS de curta-metragem de baixo orçamentoA mostra conta com 24 curtas, sendo 20 contemplados com o Prêmio e 4 suplentes que receberam Menção Honrosa, além de debates e um curso on-line gratuito. Os filmes permanecem disponíveis durante todo o período da mostra em sessões especiais na plataforma CineHumbertoMauroMAIS de 26 de fevereiro até 14 de março de 2021. As exibições possuem versões em Libras, Legendas para Surdos e Ensurdecidos (LSE) e Audiodescrição, garantindo acessibilidade para todos os públicos.

Esta edição do Prêmio foi adaptada para uma nova modalidade de execução diante da situação de enfrentamento da COVID-19, e propôs a temática norteadora Instante Suspenso: narrativas de um tempo de isolamento, buscando novas reflexões sobre os desafios do tempo presente e retratos históricos deste momento. O 6º Prêmio BDMG Cultural / FCS de curta-metragem de baixo orçamento teve como objetivo premiar e estimular a cadeia produtiva voltada para profissionais independentes do cenário audiovisual mineiro, e integra o Projeto Arte Salva, iniciativa do Governo de Minas Gerais que reúne uma série de ações de apoio às cadeias produtivas da Cultura e Turismo.

Olhares múltiplos – A Comissão de Seleção do Prêmio foi composta por André Novais (cineasta e roteirista), Luís Fernando Moura (curador e programador) e Ursula Rösele (doutora e pesquisadora). Em trecho da ata da Comissão, os avaliadores destacam que os curtas comtemplados abarcam uma pluralidade de olhares e afirmam pontos de vista não hegemônicos. “Encontramos uma série de recorrências cênicas, temáticas ou estruturantes: o isolamento social, a comunicação remota, o diário e o retrato domésticos, o comentário ou o conclame político, a recuperação e a ressignificação de arquivos e documentos, pessoais ou coletivos, a saudade ou a melancolia, a observação, a espiritualidade, o reencontro ou a convivência, a manifestação do corpo, do desejo ou da sexualidade, entre visões mais sóbrias ou delirantes do cotidiano, da história e do cinema”.

Ainda segundo a ata da Comissão de Seleção, os curtas premiados passam pelas tradições do documentário, da ficção, do ensaio, do filme de arquivo, da performance e das artes visuais, do teatro filmado, do filme militante e da animação. “De maneira geral, o conjunto [de selecionados] traduz diferentes lugares de experiência, marcados por vivências distintas de classe, gênero, raça, sexualidade, geração, geografia, e logo, sempre indissociavelmente, de modos de conceber e realizar um filme como expressão, particular e fecunda, do indivíduo e da coletividade”, (leia aqui a ata da Comissão de Seleção na íntegra).

Sessões especiais – Os 20 curtas premiados serão divididos em quatro sessões, nas quais os filmes estarão disponíveis em sequência:

  • Sessão 1 com Olhos de Erê, de Luan Manzo e Bruno Augusto Alves Vasconcelos (Belo Horizonte – MG), O Elixir, de Marina Sandim e Lucas Campolina Carvalho Silva (Belo Horizonte – MG), Eu acho que eu não quero voltar pra casa, de Marcela Sílvia dos Santos (Belo Horizonte – MG), colhia o tempo que nem laranja no pé, de Layla Caroline Braz (Belo Horizonte – MG), e Instantes, de Denise Flores (Belo Horizonte – MG);

  • Sessão 2 com DOIS, de Guilherme Moreira Jardim e Vinicius Fockiss (Belo Horizonte – MG), Até Depois do Fim do Mundo, de Bruna Maynart Fernandes (Belo Horizonte – MG), Determino Coragem, Coragem, de Cristiano Araujo e André Victor (Belo Horizonte – MG), MÉTODO, de Maria Inês de Castro Peixoto (Belo Horizonte – MG), e Buraco de Afundar, de TARDA (Sara Alves Braga, Julia Baumfeld, Victor Galvão, Paola Rodrigues e Randolpho Lamonier, de Belo Horizonte – MG);

  • Sessão 3 com Carta, de Ralph Antunes Silva (Belo Horizonte – MG), Revide, de Victor Ribeiro Guimarães (Belo Horizonte – MG), Dinheiro, de Sávio Leite e Silva e Arthur B. Senra (Belo Horizonte – MG), SER, de Denise Patricia dos Santos (Belo Horizonte – MG) e É Isso!, de Rúbia Bernardes Nascimento (Uberlândia – MG);

  • Sessão 4 com Temos muito tempo para envelhecer, de Bruna Schelb Corrêa (Cataguases – MG), Órbita, de Catapreta e Daniel Nunes Coelho (Belo Horizonte – MG), Eu vi nos seus olhos, da janela, eu vi, que era o fim, de Larissa de Freitas Muniz (Betim – MG), Silêncio, de Maria Leite Fontes (Belo Horizonte – MG) e Drama Queen, de Gabriela Luiza de Souza Padula Salles (Belo Horizonte – MG).

A mostra também conta com uma quinta sessão especial, que contempla quatro filmes da lista de suplentes, gratificados com Menção Honrosa: Que Deus é Esse, de Leonardo Hermont Good God (Belo Horizonte – MG), Último Gás, de Maria Eduarda Martins Gambogi Alvarenga (Belo Horizonte – MG), AM PM, de Jean Paulo de Jesus Nascimento (Belo Horizonte – MG); e Noite que não finda, de Pedro Aspahan (Belo Horizonte – MG).

História Permanente do Cinema Especial Mostra Instante Suspenso | Debates com os premiados – As quatro sessões de curtas premiados pelo 6º Prêmio BDMG Cultural / FCS de curta-metragem de baixo orçamento terão uma exibição especial seguida de debate. Os bate-papos das sessões 1, 2, 3 e 4 acontecerão nos dias 01/03 (segunda-feira), 03/03 (quarta-feira), 05/03 (sexta-feira) e 08/03 (segunda-feira), respectivamente. As transmissões dos debates serão feitas pela plataforma CineHumbertoMauroMAIS, sempre às 19h.

Curso gratuito on-line – O Prêmio conta com atividades complementares que visam desmitificar processos de realização em baixo custo. Uma dessas ações é o curso exclusivo Elaboração e formatação de projetos para realização audiovisual. Em formato digital, o curso possuirá duração de 3 horas, e será ministrado por Bruno Hilário, produtor executivo e Gerente do Cine Humberto Mauro, e Marco Antônio Pereira, realizador audiovisual. A transmissão será feita ao vivo pelo Canal da FCS no Youtube e pela plataforma CineHumbertoMauroMAIS, simultaneamente, no dia 11/03, às 19h, com tradução em libras. Os participantes poderão interagir com os ministrantes durante a aula, enviando suas perguntas através do chat. A participação é gratuita e não é necessária inscrição prévia.

O curso é destinado a alunos e professores de ensino de qualquer nível, profissionais do setor audiovisual do interior do estado de Minas Gerais, e interessados em geral. A ementa abrange um panorama metodológico para elaboração de projetos de realização audiovisual, com enfoque nos processos de criação e planejamento para curtas-metragens, partindo da ideia original até um contexto mais amplo de financiamento e fomento.

O curso será dividido em dois momentos, sendo o primeiro voltado para a construção de uma metodologia de escrita, pensando na formação de empreendedores descentralizados e iniciantes. Em seguida, o cineasta Marco Antônio Pereira trará seus processos de criação e estratégias de realização em um contexto de produção e estudos de casos, que tem como objetivo amplificar a experiência de agentes do setor audiovisual do interior do estado de Minas Gerais.

A mostra Instante Suspenso, da Fundação Clóvis Salgado, BDMG E BDMG Cultural, é realizada pelo GOVERNO DE MINAS GERAIS / SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA E TURISMO DE MINAS GERAIS, FUNDAÇÃO CLÓVIS SALGADO, BDMG e BDMG Cultural e tem a APPA – ARTE E CULTURA como correalizadora. A Fundação Clóvis Salgado conta com o patrocínio Master da CEMIG e do INSTITUTO UNIMED-BH (viabilizado pelo incentivo de mais de 5,1 mil médicos cooperados e colaboradores).

História do Prêmio – Criado em 2013, o Prêmio é uma parceria entre a FCS e o BDMG Cultural, que visa incentivar a produção audiovisual em Minas Gerais ao oferecer aos realizadores a possibilidade de desenvolver novas propostas estéticas e conceituais que utilizem ferramentas tecnológicas de baixo custo e fácil acesso para sua produção. O Prêmio nasceu com o objetivo de complementar o estímulo à cadeia produtiva do audiovisual pela FCS, com apoio à produção, que se juntou à difusão, promoção e formação já incorporados na atuação do Cine Humberto Mauro e das atividades formativas do BDMG Cultural. Ao longo das edições, o Prêmio reconheceu realizadores mineiros e viabilizou curtas-metragens que foram premiados em festivais nacionais e internacionais e tiveram diálogo com o FestCurtas BH.

Bruno Hilário Pereira – Graduado em Cinema e Audiovisual. É gerente curador do Cine Humberto Mauro, principal cinema público de Minas Gerais. Participa desde 2009 da equipe de produção do Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte (FESTCURTASBH), sendo coordenador geral do evento, que chega a sua 23 edição em 2021. Foi um dos produtores executivos do filme Nimuendajú (longa-metragem, 80 minutos, 4k, Salic: 100264), produzido pela ANAYA Produções Culturais e coproduzido pela Promenades Films (França) e CineZebra (Alemanha) e Apus (Peru). Foi produtor da série Felicidade, contemplada no edital FSA PRODAV 04/2013. É produtor executivo do longa-metragem Fragilidades, produzido pela Tauma e dirigido pela cineasta Paula Santos (em etapa de desenvolvimento). É Um dos coordenadores e idealizadores do edital Prêmio BMDG Cultural/FCS de Estímulo ao Curta-metragem de Baixo Orçamento, com seis edições lançadas. Participou da comissão de seleção de editais de fomento ao cinema da CODEMGE, EXIBE MINAS e atualmente integra a COPEFIC (Comissão Paritária Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura) para análise de propostas encaminhadas à Lei Estadual de Incentivo à Cultura e o Fundo Estadual de Incentivo à Cultura, representando o poder público. Ator e Produtor em diversos espetáculos teatrais produzidos pela Companhia de Teatro de Belo Horizonte.

Marco Antônio Pereira – Nasceu e cresceu em Cordisburgo-MG. É formado em Jornalismo e fundou o projeto social “Oficina Móvel de cinema”, constituído de uma série de oficinas realizadas em todo o Brasil, nas quais desafia pessoas que nunca tiveram contato com cinema a fazerem um filme. Em julho de 2017, deu um novo rumo em sua carreira no cinema ao realizar seus filmes originais no interior de Minas Gerais. Nestes primeiros trabalhos, além de dirigir, ele escreve, produz, fotografa e monta. Seu primeiro curta “A retirada para um coração bruto” foi exibido em dezenas de festivais de cinema no Brasil e no Mundo e ganhou vários prêmios, dentre eles o de melhor curta do Júri Popular em Tiradentes (2018) e três Kikitos em Gramado (2018). Seu segundo filme “Alma Bandida” foi exibido na sessão oficial de curtas do Festival de Cinema de Berlim (2018), também foi finalista do prêmio ABC de cinematografia 2018 e do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. Seu terceiro filme “Teoria sobre um planeta estranho” circulou dezenas de festivais, ganhou muitos prêmios incluindo dois kikitos em Gramado (2019) e entrou para lista dos dez melhores curtas de 2019, em votação da Associação de Críticos de Cinema do Brasil (Abraccine). 4 Bilhões de Infinitos, seu atual curta recebeu o Prêmio Canal Brasil na Mostra de Cinema de Tiradentes 2021. O cinema de Marco Antônio Pereira é totalmente produzido em Cordisburgo, sua cidade natal. Seu trabalho chamou a atenção por seu jeito único de narrar histórias regionalistas com poesia, metáforas visuais e elementos do cinema contemporâneo.

 INFORMAÇÕES GERAIS 
 O quê? Mostra Instante Suspenso
 Quando? 26/02 – 14/03
 Onde? Plataforma cinehumbertomauromais
 Entrada? Gratuita
 Informações para o público (31) 3236-7400