Carregando...
DIPRONotícias

Cine Humberto Mauro dá continuidade à edição on-line da mostra Curta no Almoço

A Fundação Clóvis Salgado, por meio do Cine Humberto Mauro, dá continuidade à programação on-line da mostra Curta no Almoço, disponibilizando todas as sextas-feiras diferentes curtas-metragens, de 12h até 14h. O programa integra o projeto Palácio em Sua Companhia, e tem o objetivo de levar ao público o repertório do Cine Humberto Mauro durante o período de isolamento social, de forma acessível e segura. Esse evento tem a correalização da APPA – Arte e Cultura.

As tradicionais sessões, que oferecem curtas nacionais e internacionais reconhecidos e premiados, terão a sua versão on-line disponibilizada na página do Facebook da Fundação Clóvis Salgado – com link de acesso também anexado ao site da FCS. O público terá o intervalo de duas horas para assistir aos curtas escolhidos pela gerência de cinema de forma gratuita. As atividades do Cine Humberto Mauro continuam diante da nova realidade de reclusão, e buscam fidelizar um público que pode se interessar pelo curta-metragem e prestigiar o 22° FESTCURTASBH, que acontece no segundo semestre de 2020.

PROGRAMAÇÃO

24/04  SEX – 12h às 14h

Angela, de Marília Nogueira (Azurita, 2019) | 12 anos | 14’

Curta vencedor do Júri Popular do 21° FESTCURTASBH protagonizado por Teuda Bara, atriz e uma das fundadoras do Grupo Galpão

Sinopse: Angela está diante de um pequeno universo composto por receitas médicas, que sugerem uma permanente preocupação com sua saúde. Ela procura não o expor a suas vizinhas, como se o ambiente doméstico fosse também o recanto de seus segredos. Mas, quando já não é mais possível contornar as circunstâncias, as ervas de seu quintal e o afeto de suas amigas aparecerão para o acolhimento necessário.

01/05  SEX – 12h às 14h

Songs for Earth And Folk, de Cauleen Smith (EUA, 2013) | Livre | 10’

Um conjunto de imagens de proporções épicas. Produzido em residência, no Chicago Film Archives, com música de The Eternals.

08/05 (SEXTA-FEIRA) – 12h às 14h

The Railrodder, de Gerald Potterton (EUA, 1965) | Livre | 25’

Curta-metragem de comédia de 1965, estrelado por Buster Keaton em um de seus papéis finais no cinema. Após ser seduzido por um grande anúncio de turismo no jornal, um senhor londrino (Buster Keaton) decide conhecer o Canadá. O curta entra em diálogo com a mostra Grandes Mestres da Comédia, a ser disponibilizada também on-line.

15/05 SEX – 12h às 23h59min (horário ampliado)

Todo Dia Na Rua, de Maria de Fátima Augusto | BRA,  2002 | 15’ | Classificação: Livre    

O filme registra a rotina das varredoras da SLU – Serviço de Limpeza Urbana, que atuam na região central de Belo Horizonte. Seus nomes, crenças, sonhos e trabalho são apresentados em uma poética que  amplifica as formas do fazer documental. O curta, filmado no início dos anos 2000, tem forte apego na tradição da videoarte belo horizontina, trazendo recursos como colagens, uma postura inventiva da câmera, utilização gráfica da palavra escrita, entre outros. O serviço de limpeza urbana, nesse momento de isolamento social, não está interrompido. Essa exibição é uma homenagem e um agradecimento da Fundação Clóvis Salgado e do Cine Humberto Mauro à todas as funcionárias e a todos os funcionários que estão cuidado das nossas cidades. O filme ficará disponível um tempo maior em comemoração ao Dia do Gari (16 de maio). A obra foi cedida gentilmente pela produção do curta para essa transmissão. “Todo dia na Rua” foi selecionado para a Mostra Competitiva Brasileira do 5º FESTCURTASBH, realizado em 2003, recebendo o prêmio de Melhor Filme do festival pelo Júri Popular.

Paraguaia, de Maria de Fatima Augusto | BRA, 2002 | 7’ | Classificação: Livre    

Vídeo realizado durante as filmagens do documentário Todo Dia Na Rua (2002). Uma equipe de filmagem conhece Paraguaia, uma catadora de papel de Belo Horizonte de 66 anos de idade que relata sua vida e seus sonhos.

22/05 SEX – 12h às 14h

Cartuchos de Super Nintendo em Anéis de Saturno, de Leon Reis | Super Nintendo’s Cartridge In Saturn’s Rings | Ceará | 12 anos | 2018 | Duração: 20’

Curta de estréia do jovem cineasta Leon Reis, que foi filmado de maneira independente e universitária. A obra se trata de uma ficção afrofuturista que transversa sobre o racismo pela ótica de uma encruzilhada urbana: diante da dor, solidão e desespero, um homem negro assopra um cartucho de Super Nintendo em uma encruzilhada. O curta traz consigo uma carga de pedagogia política e poética, através do personagem que o protagonista encontra em um bairro de classe média/alta de Fortaleza, que o estimula a enfrentar as repressões impostas pela elite. Com a utilização de várias cenas surrealistas e de ficção científica, o filme cataliza esses elementos como uma forma de estar cada vez mais alinhado ao mundo real. Compôs a Mostra Competitiva Brasileira do 21º FESTCURTASBH, realizado em 2019, além de ser selecionado para diversos festivais nacionais e internacionais.

29/05 SEX – 12h às 24h

Estranho Animal, de Arthur B. Senra | MG/DF, 2019 | 5’ | Classificação: 14 anos
Animação experimental produzida em Belo Horizonte e no Distrito Federal que integrou a Competitiva Brasileira do 21ºFESTCURTASBH, realizado em 2019. Utilizando-se de diversas técnicas de animação como stop motion e desenhos com giz e carvão, o curta reflete sobre a ditadura militar e sua capacidade de evidenciar as capacidades mais bestiais e animalescas do ser humano. Em contraponto, o filme apresenta, entre o realismo e o surrealismo, as características poéticas que o animal pássaro pode representar com o seu vôo e a liberdade.

05/06 SEX – 12h às 23h59min (horário ampliado)

Quando Elas Cantam, de Maria Fanchin | SP, 2018 | 28’ | Classificação: Livre

Documentário sobre o projeto Voz Própria, voltado ao tratamento terapêutico de mulheres encarceradas a partir da articulação entre música e psicanálise. O filme acompanha de dentro da prisão os ensaios dessas mulheres para um show na Capela da Penitenciária Feminina de São Paulo, capital. Através dessas reuniões, a arte e a música servem como consolo da rotina da penitenciária e um instrumento de ressocialização. O curta integrou a Competitiva Brasileira do 21ºFESTCURTASBH, realizado em 2019.

12/06 SEX – 12h às 23h59min (horário ampliado)

Peripatético, de Jessica Queiroz | SP, 2017 | 15’ | Classificação: Livre

Simone, Thiana e Michel são três amigos que moram no mesmo bairro periférico da cidade de São Paulo. Eles compartilham suas dificuldades e incertezas diante dos desafios do início da vida adulta, como conseguir o primeiro emprego, passar no vestibular ou escolher uma profissão. Com linguagem pop e animações, o filme retrata a juventude negra e periférica, que tem suas vidas interrompidas pelas mãos do Estado brasileiro. O curta paulistano fez parte das Mostras Juventude e Competitiva Brasil no 20ºFESTCURTASBH, realizado em 2018.

19/06 SEX – 12h às 23h59min (horário ampliado)

A Retirada Para um Coração Bruto, de Marco Antônio Pereira| MG, 2017 | 15’ | Classificação: Livre

Ozório é um senhor que vive sozinho na zona rural de Cordisburgo, Minas Gerais. Passa seus dias ouvindo rock no rádio, enquanto vive o luto pela perda de sua companheira. Até que um movimento no céu quebra sua solidão.​ No filme, o diretor faz o trânsito entre uma linguagem contemporânea internacional e as cores, os sotaques e as paisagens regionais. O curta mineiro integrou a mostra Competitiva Brasil no 20ºFESTCURTASBH, realizado em 2018.

26/06 SEX – 12h às 23h59min (horário ampliado)

História de Si (Recit de Soi), de Géraldine Charpentier | Bélgica,  2018 | 5’ | Classificação: 10 anos

Esta animação poética e sutil aborda questões sobre identidade de gênero a partir dos apontamentos confessionais de Lou sobre sua infância. O curta produzido na Bélgica participou da mostra Animação do 21ºFESTCURTASBH, realizado em 2019. Esta sessão é uma homenagem ao mês do orgulho LGBTQIA+.

03/07 SEX – 12h às 23h59min (horário ampliado) 

Gringo da Tela Verde, de Douwe Dijkstra | Holanda, Brasil, 2016 | 16’ | Classificação: 10 anos

Atrás de uma tela verde, um estrangeiro encontra seu caminho em um encantador – e no entanto turbulento – Brasil. Onde as ruas são um palco para política, arte e afeto, a um gringo só resta assistir. O resultado é um retrato mixtape do Brasil moderno, visto pelos olhos do visitante. Com humor e comentário social e político, o resultado é um retrato colagem do Brasil de 2016. Gringo na Tela Verde integrou a mostra Atravessamentos do Presente, no 19ºFESTCURTASBH, realizado em 2017.

10/07 SEX – 12h às 23h59min (horário ampliado) 

Nada, de Gabriel Martins| MG,  2017 | 27’ | Classificação: 12 anos

A jovem Bia, prestes a completar 18 anos e apaixonada por hip hop, tem dificuldades para escolher o que fará no ENEM e lida com o seu começo da vida adulta. “Nada” integrou a mostra Competitiva Brasil, no 19ºFESTCURTASBH, realizado em 2017. A obra foi produzida pela Contagem Filmes de Plástico, responsável por várias obras de destaque nacional e internacional, como Temporada e No Coração do Mundo.

17/07 SEX  – 12h às 23h59 (horário ampliado)

Deus, de Vinicius Silva | SP/RS, 2016 | 25’ | Classificação: Livre

Acompanhando a rotina de Roseli, o filme visa expor o cotidiano de mulheres negras da periferia da cidade de São Paulo que batalham para garantir seu sustento e, especialmente o de seus filhos. O curta foi vencedor do Júri Popular e integrante da Competitiva Brasileira do 19º FESTCURTASBH. Tocante e real, Deus é um filme sobre o amor e a resistência que emanam do cotidiano de muitas mulheres negras no Brasil.

24/07 SEX – 12h às 23h59 (horário ampliado)

Filme de Rua, de Joanna Ladeira, Paula Kimo, Zi Reis, Ed Marte, Guilherme Fernandes e Daniel Carneiro | Minas Gerais, 2017 | 24’ | Classificação: 14 anos

Pelas ruas de Belo Horizonte, um grupo de adolescentes faz seu filme. Construído em conjunto, no contexto de uma oficina, o filme extrapola o cotidiano e o simples registro documental, e enfatiza a relação desses jovens com o ato de filmar, o processo criativo e o desejo de estar em cena. A obra foi realizada pelo coletivo Filme de Rua, a iniciativa propõe o intercâmbio entre a prática do audiovisual e a produção artística de jovens que vivem ou já viveram em situação de rua. Foi a obra vencedora da Competitiva Minas do 19ºFESTCURTASBH, realizado em 2017.

31/07 SEX – 12h às 23h59 (horário ampliado)

Maravilhosa, de Augusto Brasil | MG,  2017 | 20’ | Classificação: 12 anos

Vogue, dança, resistência e manifestação política: “Maravilhosa” acompanha o universo queer através do duelo de vogue, cultura que emerge das ruas, na qual gays, transexuais, travestis e outros que não se enquadram no padrão heteronormativo assumem o protagonismo. Atento ao movimento e à expressividade dos corpos, o filme adentra o espaço da dança, dos bastidores aos palcos, exaltando a diversidade e a cultura LGBT. Integrou a mostra Competitiva Minas do 20º FESTCURTASBH, realizado em 2018.

07/08 SEX – 12h às 23h59 (horário ampliado)

Impermeável Pavio Curto, de Higor Gomes | Minas Gerais,  2018 | 24’ | Classificação: 12 anos

Jaqueline tem aquilo que alguns chamariam de personalidade forte. A adolescente, em fase de novas descobertas, vive com a tia e enfrenta alguns problemas na escola. Sua companhia diária é uma bicicleta, com a qual passeia pelo bairro. Um dia, Jaqueline e a tia pegam a estrada, mas as coisas não saem como o esperado. Foi a obra vencedora da Competitiva Minas do 20ºFESTCURTASBH, realizado em 2018.

14/08 SEX – 12h às 23h59 (horário ampliado)

Como se o céu fosse oceano, de Breno Henrique | MG, 2018 | 18’ | Classificação: 12 anos

Belo Horizonte, 2018. Encontro de corpos que compartilham, cada um à sua maneira, anseios, histórias, afetos, medos e existências, tudo isso com a cidade de pano de fundo. “Como se o céu fosse oceano” estabelece a construção de um espaço comum mas não igual, que semeia fabulações, em registros variados, criando futuros no agora. São apresentados jovens atravessados por diferentes experiências sociais, ocupando a cidade e criando suas próprias narrativas de vida – ao mesmo tempo em que precisam lidar com seus anseios. Foi vencedor da mostra Competitiva Minas do 21º FESTCURTASBH.

 

21/08 – 12h às 23h59 (horário ampliado)

Filhas de Lavadeiras, de Edileuza Penha de Souza | Distrito Federal,  2019 | 22’ | Classificação: 12 anos

Histórias de Mulheres Pretas que, graças ao árduo trabalho de suas mães, puderam estudar e refazer os caminhos trilhados por suas antecessoras. Memórias, alegrias, tristezas, dores, poesias como possibilidades de um novo destino, transformando o duro trabalho das lavadeiras em espetáculo de vida e plenitude. Inspirado na obra homônima da escritora Maria Helena Vargas, o curta desata o nó e atualiza uma lição de resistência. Integrou a mostra Competitiva Brasil do 21º FESTCURTASBH.

28/08 SEX – 12h às 23h59 (horário ampliado)

Anderson, de Rodrigo Meireles | MG,  2017 | 20’ | Classificação: 12 anos

O curta aborda o cotidiano de Anderson, um brasileiro de meia idade que tem paralisia cerebral, compartilhado em dois domínios afetivos primordiais: o construído na convivência amorosa com sua família e aquele surgido da paixão pelo time de futebol Atlético Mineiro. A partir dos laços forjados nesses domínios e, sobretudo, no cruzamento entre eles, desdobra-se parte importante das experiências do personagem, como as acirradas partidas de futebol de botão com seu irmão. O curta integrou a mostra Competitiva Minas do 20º FESTCURTASBH.

04/09 SEX  – 12h às 23h59 (horário ampliado)

Nove Águas, de Gabriel Martins e Quilombo dos Marques | Minas Gerais,  2018 | 25’ | Classificação: 14 anos

Entre a descoberta de um território e a reinvenção de uma comunidade, moradores do Quilombo Marques, no Vale do Mucuri, retomam parte de sua história, de sua luta, de seus cantos e tradições. O caráter coletivo de realização do filme, que não se furta de incidir sobre a imagem, institui um gesto de resistência, a reafirmação de uma ancestralidade e o desejo de intervenção no presente. Se o território segue em disputa, é preciso continuar a crer na capacidade de um cinema comunitário mover o mundo. O curta integrou a mostra Competitiva Minas do 21º FESTCURTASBH, realizado em 2019.

11/09 SEX – 12h às 23h59 (horário ampliado)

Aurora, de Leo Ayres | Minas Gerais,  2019 | 21’ | Classificação: 14 anos

O filme conta a história de Renata (Talita Braga), de 40 anos, mulher de classe média dedicada à extenuante jornada de cuidar dos filhos e da casa, trabalhar e lutar por liberdade, igualdade de direitos e relações dignas no mercado de trabalho. Além de abordar questões de gênero, o curta convida o espectador a refletir sobre a forma como conduz a própria vida, sem espaço para afetos. O curta integrou a mostra Competitiva Minas do 21º FESTCURTASBH, realizado em 2019.

Este evento tem correalização da APPA Arte e Cultura.

 INFORMAÇÕES GERAIS 
 O quê? Curtas no Almoço
 Quando? Até 05/06
 Onde? Exibição nas Mídias Sociais da Fundação Clóvis Salgado | facebook.com/fundacaoclovissalgado/ e fcs.com.br
 Entrada? Gratuita
 Informações para o público (31) 3236-7400