Carregando...
CefartNotícias

Palácio em Sua Companhia relembra apresentação de jazz do Coral Lírico em parceria com a Big Band Palácio das Artes

Concertos Sacros celebra a obra do pianista, maestro e compositor Duke Ellington. Créditos: Paulo Lacerda

Dando sequência ao projeto Palácio em Sua Companhia, a Fundação Clóvis Salgado vai exibir, pelo módulo Memória, mais uma produção com um de seus Corpos Artísticos realizada no Grande Teatro Cemig Palácio das Artes. Trata-se da apresentação Concertos Sacros, que celebrou a obra do pianista, maestro e compositor de jazz Duke Ellington, interpretado pelo Coral Lírico de Minas Gerais e pela Big Band Palácio das Artes, em outubro de 2013. O vídeo ficará disponível no canal da FCS no YouTube, das 18h do dia 11 de dezembro (sexta-feira) até 18h do dia 18 de dezembro (sexta-feira), e conta com depoimento atual de Lincoln de Andrade, regente do concerto e então maestro titular do CLMG; gravado especialmente para a ocasião. Este evento tem correalização da Appa – Arte e Cultura.

Sob a regência de Lincoln de Andrade, o concerto contou com a participação especial da soprano Rita Medeiros e do sapateador alemão Steven Harper, que abrilhantaram a apresentação com números de jazz cheios de criatividade e ritmo. Para o repertório, foram selecionados os melhores momentos da série de obras sacras de Duke Ellington, com arranjos dos dinamarqueses John Hoybye e Peder Pedersen. Entre bluesjingles e baladas, a apresentação revelou a obra sacra do compositor em momentos distintos e especiais.

A obra de Ellington traduz as lutas pelas causas sociais da década de 60. Em Freedom, canção que marcou a apresentação, o compositor exalta a liberdade em sete movimentos, que deram o tom ideológico, religioso e musical de todo o concerto. Esse evento celebrou, além da obra de Ellington, a hibridez das canções americanas, que mesclam com maestria a música popular e erudita, e evidenciou a qualidade artística dos dois grupos artísticos envolvidos

Concertos Sacros – Duke Ellington raramente expressava sua ligação com a religião em sua música. Contudo, ao completar 66 anos de idade, foi convidado a compor uma série de concertos previstos para acontecer nas principais igrejas nos Estados Unidos. Para alguns, o interesse de Duke Ellington pela música sacra pode ter aumentado pelo fato de seu amigo e também compositor Billy Strayhorn ter falecido pouco depois da estreia do primeiro concerto sacro, que aconteceu na Grace Cathedral, em São Francisco, no ano de 1965. Esse foi o primeiro de uma série de três concertos, compostos e apresentados entre 1965 e 1973.

O segundo concerto sacro foi realizado na Catedral de São João, em Nova Iorque, em 1968. O terceiro aconteceu na Catedral de Westminster, em Londres, em 1973, sete meses antes de Duke Ellington falecer. Entre 1966 e 1974, Ellington excursionou com sua banda pelos EUA e Europa com os três concertos sacros. Para as performances, o compositor arranjava com diferentes solistas, contando frequentemente com a parceria da cantora de jazz sueca Alice Babs, e de diversos coros locais.

Edward Kennedy Ellington (1899 — 1974) – Compositor de jazz, pianista e maestro estadunidense eternizado com a alcunha de “The Duke” e distinguido com a Presidential Medal of Freedom em 1969 e com a Legião de Honra em 1973, sendo ambas as distinções as mais elevadas que um civil pode receber. Foi ainda o primeiro músico de jazz a entrar para a Academia Real de Música de Estocolmo, e foi honoris causa nas mais importantes universidades do mundo. A música de Duke Ellington foi uma das maiores influências no jazz desde a década de 1920 até à de 1960. Ainda hoje suas obras têm influência apreciável e é, por isso, considerado o maior compositor de jazz americano de todos os tempos.

#PALÁCIOEMSUACOMPANHIA – A diversidade cultural do Palácio das Artes encanta o público mineiro há décadas. Agora, no período de isolamento social, o propósito é levar cultura a cada um, no aconchego de casa! Desde o dia 3 de abril, a Fundação Clóvis Salgado realiza o projeto PALÁCIO EM SUA COMPANHIA, que disponibiliza ao público a arte dos Corpos Artísticos (Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Coral Lírico de Minas Gerais e Cia. de Dança Palácio das Artes), dos alunos e professores do Cefart, das Artes Visuais e do Cinema, por meio do Facebook, Instagram e YouTube.

Coral Lírico de Minas Gerais – O Coral Lírico de Minas Gerais é um dos raros grupos corais que possui programação artística permanente e interpreta repertório diversificado, incluindo motetos, óperas, oratórios e concertos sinfônico-corais. Participa da política de difusão do canto lírico promovida pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado (FCS), a partir da realização dos projetos Concertos no Parque, Lírico Sacro, Sarau ao Meio-dia e Lírico em Concerto, além de concertos em cidades do interior de Minas e capitais brasileiras, com entrada gratuita ou preços populares. Participa também das temporadas de óperas realizadas pela FCS. Já estiveram à frente do Coral os maestros Luiz Aguiar, Marcos Thadeu, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Ângela Pinto Coelho, Eliane Fajioli, Sílvio Viegas, Charles Roussin, Afrânio Lacerda, Márcio Miranda Pontes, Lincoln Andrade, Lara Tanaka e Hernán Sanchez. Criado em 1979, o Coral Lírico de Minas Gerais tornou-se Patrimônio do Estado em 2018 e comemorou quarenta anos em 2019.

 

Big Band Palácio das Artes – Formada em 2006 como projeto do Curso de Música do Centro de Formação Artística e Tecnológica – Cefart, a Big Band Palácio das Artes integra a política do Governo de Minas de fomento e promoção de novos talentos, realizada pela Fundação Clóvis Salgado. A Instituição é responsável por disponibilizar toda a infraestrutura para a manutenção do grupo e oferecer condições para a profissionalização dos jovens artistas, investindo no apuro técnico, na experimentação e na sua valorização e divulgação junto ao público. A Big Band Palácio das Artes apresentou-se em diversos espaços de Belo Horizonte e em cidades do interior de Minas Gerais.

Lincoln Andrade – Lincoln Andrade possui doutorado em Regência pela University of Kansas (EUA), mestrado em Regência Coral pela University of Wyoming (EUA), onde também foi professor assistente e ministrou aulas de canto coral e regência coral. Premiado nos Estados Unidos e na Europa, o Maestro foi diretor musical do grupo ‘Invoquei o Vocal’, maestro titular do Madrigal de Brasília e do Coral Brasília. Ainda na capital federal, foi professor e diretor da Escola de Música de Brasília. É produtor musical, apresentador e entrevistador do programa Conversa de Músico, produzido e veiculado pela TV Senado. Também é professor de regência e coordenador da Orquestra Sinfônica da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Ministra palestras sobre regência e canto coral em festivais brasileiros.

Rita Medeiros – Interpretou, como solista, obras de Britten, Berlioz, Mozart, Manoel Dias de Oliveira, J. S. Bach, H.Soares, Lobo de Mesquita, M.DeFalla, João de Deus de Castro Lobo, Vivaldi, entre outros. Na ópera, foi Rosina em O Barbeiro de Sevilha (G. Rossini), Fenena em Nabucco (G.Verdi), Bersi em Andrea Chenier (U.Giordano), Carmen em Carmen (G. Bizet), Madame Herz em O Empresário (Mozart), Lola em Cavalleria Rusticana (P. Mascagni), Marcellina em As Bodas de Figaro (W. A. Mozart), Marianna em La Serva e l´Ussero (L. Ricci), Fedra em Fedra e Hipólito (Christopher Park). Apresentou-se em shows nas Convenções Mundiais de Contrabaixo de Paris (2008) e de State College, EUA (2009), interpretando obras de Fausto Borém, acompanhada, ao contrabaixo, pelo compositor.

Steven Harper – Sapateador, coreógrafo, professor e produtor, é um dos principais incentivadores da arte do sapateado no Brasil. Residente no Rio de Janeiro, lecionou e se apresentou em mais de dez países da América Latina, América do Norte e Europa. Dirige a Companhia Steven Harper, além de coordenar o ensino de sapateado do Centro de Artes Nós da Dança, no Rio de Janeiro. Organiza, junto com Adriana Salomão, o festival Tap in Rio, e é membro do comitê diretor da International Tap Association, sediada nos EUA, e da Comissão Artística para sapateado, do Sindicato dos profissionais da dança do Rio de Janeiro.

 INFORMAÇÕES GERAIS
 O quê? Palácio em Sua Companhia relembra apresentação de jazz do Coral Lírico em parceria com a Big Band Palácio das Artes
 Quando? 11/12 – 18/12, às 18h.
 Informações para o público (31) 3236-7400