Carregando...
Notícias

CLMG e OSMG homenageiam os PROFISSIONAIS DA SAÚDE em vídeo inédito da obra SANCTUS

A Fundação Clóvis Salgado lança, por meio dos integrantes do Coral Lírico de Minas Gerais e da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, uma gravação inédita da obra Sanctus, quarto movimento da Missa de Santa Cecília (1855), composta pelo francês Charles-François Gounod. A produção homenageia e celebra a atuação dos profissionais de saúde, cujo trabalho se tornou ainda mais essencial durante a pandemia da Covid-19. O vídeo vai ao ar no dia 30 de abril (sexta-feira)às 10h, pelas páginas da Fundação Clóvis Salgado no Instagram e no Facebook. A produção possui direção musical do Maestro Titular da OMSG, Silvio Viegas, e da Maestrina Associada ao CLMG, Lara Tanaka.

Para Eliane Parreiras, presidente da Fundação Clóvis Salgado, esse vídeo traduz o reconhecimento de todos nós sobre a importância dos profissionais de saúde, que são os heróis da atualidade. “Entendemos que essa homenagem reflete nosso carinho e um agradecimento a todos que se encontram, bravamente, na linha de frente do combate à covid-19. A eles todo o nosso respeito e admiração”, destaca Eliane Parreiras.

A diretora institucional do Instituto Unimed-BH, Mercês Fróes, manifesta seu agradecimento à Fundação Clóvis Salgado pela iniciativa. “Há mais de um ano milhares de profissionais da saúde estão trabalhando incansavelmente para salvar vidas e, na minha opinião, não há nada mais gratificante do que receber o carinho das pessoas. Em nome das nossas equipes e de todos que estão na linha de frente no combate à COVID-19 em nosso país, nós da Unimed-BH e do Instituto Unimed-BH agradecemos por essa homenagem tão emocionante e também tão simbólica”, afirma Mercês.

Sanctus de Gounod – Uma Homenagem aos Profissionais de Saúde* reúne os músicos de forma remota, cada um em sua casa, com gravação feita de forma individual. Segundo Silvio Viegas, a obra foi escolhida por um motivo muito sensível, com o objetivo de passar uma mensagem de fé e acolhimento. “Estamos vivendo um momento de explosão da pandemia, um momento onde há muito estresse em nosso cotidiano. Reconhecemos os profissionais de saúde como heróis desse momento, e o trabalho daqueles que assumem essa linha de frente está mais do que exaustivo. Nesse mês da Páscoa, representada pelo renascimento de Cristo, criamos essa homenagem para tocar o coração do público com uma música introspectiva, que nos faz refletir”, destaca o maestro. “Pensando nessa reflexão e nessa oração, tornamos o vídeo um agradecimento a esses profissionais capazes de fazer um milagre de cura através de sua competência”, conclui.

Coral Lírico de Minas Gerais. Imagem: divulgação

Mensagem de acolhimento – O contexto do vídeo, para a maestrina Lara Tanaka, se expande para além da homenagem, e serve também como um alerta para a situação calamitosa causada pela pandemia. “No momento, estamos em uma situação avassaladora, e sendo a FCS uma comunidade enorme, com muitos funcionários, tivemos perdas. A nova produção é uma forma de homenagearmos os profissionais de saúde e também nos solidarizarmos aos familiares que perderam seus entes queridos. Queremos, mas acima de tudo, alertar a população para a gravidade de uma pandemia”, declara a maestrina, sensibilizada. “Buscamos deixar claro que é preciso que façamos a nossa parte e respeitemos o isolamento, para que a classe médica não seja ainda mais sobrecarregada”.

A produção Sanctus de Gounod – Uma Homenagem aos Profissionais de Saúde é uma forma de presentear carinhosamente aqueles que tanto lutam pela nossa sobrevivência. A Fundação Clóvis Salgado presta sua solidariedade a todas as famílias que perderam entes próximos e queridos, e permanece com o compromisso de resguardar a segurança de toda a sua equipe, reverberando uma mensagem de fé e esperança para os dias que virão.

Homenagem sacra – A Orquestra Sinfônica e o Coral Lírico de Minas Gerais lançam um vídeo conjunto mensalmente, desde o início do período de distanciamento social. Segundo Tanaka, os músicos têm procurado intercalar, de mês em mês, a linguagem popular e a linguagem erudita. “Em abril optamos por fazer algo um pouco mais sacro após o sucesso de nossa produção com Mônica Salmaso, lançada em março de 2021. As peças eruditas sempre demandam um pouco mais de atenção, pois possuem mais nuances. Conseguir o som uniforme é mais difícil durante o isolamento, mas tentamos ao máximo – principalmente por meio da edição de vídeo e equalização das vozes”, explica a maestrina.

Missa de Santa Cecília foi composta em 1855 para três solistas, coro misto, orquestra e órgão, como uma homenagem para Santa Cecília, padroeira da música. Os movimentos Sanctus e Benedictus foram apresentados em 1851, antes do lançamento completo da obra, que foi interpretada integralmente no dia de Santa Cecília (22 de novembro), em Saint-Eustache, Paris, sob regência do maestro Théophile Tilmant.

O vídeo Sanctus de Gounod – Uma Homenagem aos Profissionais de Saúde integra o projeto #PalácioEmSuaCompanhia e é realizado pelo Governo de Minas Gerais, através da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, pela Fundação Clóvis Salgado,  e correalizado pela Appa – Artes e Cultura. É patrocinado pela Cemig e Unimed-BH / Instituto Unimed-BH¹, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, e pela Usiminas / Instituto Usiminas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

¹ O patrocínio da Unimed-BH e do Instituto Unimed-BH é viabilizado pelo incentivo de mais de 5,2 mil médicos cooperados e colaboradores.

* As imagens do vídeo foram cedidas pela Unimed-BH.

Orquestra Sinfônica de Minas Gerais – Considerada uma das mais ativas do país, a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais cumpre o papel de difusora da música erudita, diversificando sua atuação em óperas, balés, concertos e apresentações ao ar livre, na capital e no interior de Minas Gerais. Criada em 1976, foi declarada Patrimônio Histórico e Cultural do Estado de Minas Gerais em 2013. Participa da política de difusão da música sinfônica promovida pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado, a partir da realização dos projetos Concertos no Parque, Concertos Comentados, Sinfônica ao Meio-dia, Sinfônica em Concerto, além de integrar as temporadas de óperas realizadas pela FCS. Mantém permanente aprimoramento da sua performance executando repertório que abrange todos os períodos da música sinfônica, além de grandes sucessos da música popular. Seu atual regente titular é Silvio Viegas.

Coral Lírico de Minas Gerais – O Coral Lírico de Minas Gerais é um dos raros grupos corais que possui programação artística permanente e interpreta repertório diversificado, incluindo motetos, óperas, oratórios e concertos sinfônico-corais. Participa da política de difusão do canto lírico promovida pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado (FCS), a partir da realização dos projetos Concertos no Parque, Lírico Sacro, Sarau ao Meio-dia e Lírico em Concerto, além de concertos em cidades do interior de Minas e capitais brasileiras, com entrada gratuita ou preços populares. Participa também das temporadas de óperas realizadas pela FCS. Já estiveram à frente do Coral os maestros Luiz Aguiar, Marcos Thadeu, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Ângela Pinto Coelho, Eliane Fajioli, Sílvio Viegas, Charles Roussin, Afrânio Lacerda, Márcio Miranda Pontes, Lincoln Andrade e Lara Tanaka. Criado em 1979, o Coral Lírico de Minas Gerais tornou-se Patrimônio do Estado em 2018 e comemorou quarenta anos em 2019.

>>INFORMAÇÕES GERAIS<<
 O quê? Gravação inédita da obra Sanctus – Coral Lírico de Minas Gerais Orquestra Sinfônica de Minas Gerais
 Quando? 30/04 – 10h
 Onde? Fundação Clóvis Salgado no Instagram e no Facebook.
 Entrada? Gratuita
 Informações para o público (31) 3236-7400