Carregando...
Notícias

FCS convida público a contar histórias inesquecíveis vividas no Palácio das Artes

O público é integrante e parceiro permanente das mais variadas atividades do Palácio das Artes. Por esse motivo, não é possível celebrar os 50 anos da instituição sem conhecer as histórias e emoções vividas no complexo cultural localizado bem no centro da capital mineira. Pensando nisso, a campanha Palacianas – Histórias que inspiram compõe a programação 50 ANOS EM 5 ATOS, em celebração ao cinquentenário do Palácio das Artes, completado em 14 de março de 2021.

Para participar, o público deverá enviar gravações em vídeo (na vertical) ou áudio, com no máximo 3 minutos, ou fotos marcantes feitas nas dependências do Palácio das Artes, acompanhada de descrição com até 400 caracteres (com espaço) e encaminhar para o e-mail: palacio50@fcs.mg.gov.br. Esses materiais somente serão aceitos junto com o envio do formulário de “Autorização de uso de imagem e som”, que está disponível logo abaixo:

 

Para baixar o formulário de “Autorização de uso de imagem e som”, CLIQUE AQUI. 

 

A proposta básica do projeto Palacianas é que o público envie à Fundação Clóvis Salgado histórias inesquecíveis vividas no espaço, engraçadas ou dramáticas. Haverá também publicação das vivências de funcionários, ex-funcionários e grandes artistas que fazem parte da trajetória do complexo cultural. Os depoimentos serão compartilhados nas redes sociais da Fundação Clóvis Salgado (Instagram e Youtube). A ideia é mostrar como o Palácio das Artes faz parte da vida da cidade e de seus moradores e também como o público tem retratado esse espaço.

Para Eliane Parreiras, presidente da Fundação Clóvis Salgado, é importante celebrar essa história e seu impacto na cultura mineira e brasileira, fazer reverência a todos que construíram essa trajetória, junto com o público fiel e afetivo, além de discutir os passos em direção ao futuro. “É sempre necessário discutir e reafirmar o papel dos espaços culturais como ponto de encontro, de convivência da diversidade, da nossa identidade cultural, da humanização, para reflexão e formação de pensamento crítico. Estamos muito felizes em celebrar essa data com o público”, enfatiza Eliane Parreiras.

A campanha “Palacianas – Histórias que inspiram” é realizada pelo Governo de Minas Gerais, através da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, pela Fundação Clóvis Salgado, e correalizado pela Appa – Artes e Cultura. É patrocinado pela Cemig e Unimed-BH / Instituto Unimed-BH¹, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, além da Usiminas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, com apoio do Instituto Usiminas.

¹ O patrocínio da Unimed-BH e do Instituto Unimed-BH é viabilizado pelo incentivo de mais de 5,2 mil médicos cooperados e colaboradores.

 

Histórias que inspiram – A primeira temporada do Ballet Kirov no Brasil, em 1994, foi cercada por inúmeros detalhes de produção, o que incluiu tradutores oficiais da Embaixada da Rússia. Mas, durante os complexos trabalhos de montagem de “O lago dos cisnes”, os tradutores não conseguiram fazer com que as equipes técnicas se entendessem, tanto a do espetáculo quanto a do Palácio das Artes, causando atrasos na montagem. Até que a solução veio da casa. Sorriso, Técnico do Palco do Grande Teatro CEMIG Palácio das Artes, aproximou-se do coordenador dos tradutores e disse: “Posso tentar? Eu falo um pouco de russo!”. Mesmo desacreditado, Sorriso assumiu o comando da “tradução” e, de um jeito ou de outro, mesmo sem domínio da língua estrangeira, fez com que as pessoas se entendessem e os trabalhos fossem retomados.

 

Mercídio Scarpelli exercendo seu ofício, no Cine Humberto Mauro | Foto: Bruno Hilário

Essa, como diversas outras divertidas e memoráveis histórias, compõem o acervo de memória do Palácio das Artes. Como nos conta o projecionista Mercídio Scarpelli, funcionário do Cine Humberto Mauro de 1986 a 2019, que foi obrigada a fugir de um espectador da sala de cinema. Durante a exibição do filme Blade Runner – O caçador de androides, ele foi responsável pela troca do rolo de filme (na época, um longa-metragem possuía vários rolos de filme). A mudança, infelizmente, ocorreu na hora que um androide seria morto: ao trocar o rolo de filme, uma cena foi cortada, e o personagem apareceu já morto. O espectador disse que ia pegar o projecionista “ladrão” que, com receio da briga, foi acompanhado por um Segurança do Palácio das Artes até o ponto de ônibus.

O público também já protagonizou diversas passagens marcantes: um fã de Guilherme Arantes parou em frente ao Palácio das Artes, em 2019, e pediu fogo para outro homem que estava ali na entrada principal, também fumando. Os dois permaneceram calados até que o primeiro começou a se lamentar, triste por não ter conseguido comprar os ingressos mais baratos para o show. Contou ainda, com uma certa frustração, que também não se enquadrava no perfil de meia-entrada. Foi aí que seu interlocutor disse: “Sou seu dia de sorte!”. Produtor daquele espetáculo, deu para o fã um ingresso. O homem chorou de alegria, mostrando no celular uma foto com um pôster de Guilherme Arantes em seu quarto.

 

Parte do todo – A campanha Palacianas – Histórias que inspiram integra uma extensa programação anual que conta com mais quatro eixos: Exposição imersiva 50 ANOS EM 5 ATOS, dividida em três espaços – Fachada, Hall e Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard – que trará ao público mineiro um panorama da instituição, propondo formas inéditas de interação digital; Série de Lives Prata da Casa Vale Ouro, que homenageia funcionários, ex-funcionários e grandes artistas que contribuíram e contribuem com a trajetória do Palácio das Artes por meio de bate-papos transmitidos ao vivo pelo canal da FCS no Youtube; Podcasts sobre os 50 Anos do Palácio das Artes com convidados especiais debatendo temas históricos; e Minidocs a serem veiculados no canal da FCS no Youtube com breves histórias sobre o cinquentenário.

Programas que integram a programação anual da FCS como Concertos no Parque, Sinfônica POP, espetáculos dos corpos artísticos, mostras de cinema e exposições também farão homenagem aos 50 anos do Palácio das Artes em sua temática. São ações que compõem o planejamento anual da instituição e que tem seu calendário definido a partir das definições sanitárias de enfrentamento à Covid a cada novo momento.

 

50 ANOS EM 5 ATOS – Tendo como inspiração o famoso slogan do ousado programa de governo de Juscelino Kubitschek para o Brasil em 1954, quando candidato à presidência da República, “50 anos em 5” (50 anos de progresso em 5 anos de realizações), os 50 anos do Palácio das Artes, inaugurado em 14 de março de 1971, serão comemorados com a realização de uma série de projetos e eventos inéditos intitulados 50 Anos em 5 Atos. Junto ao público, que anda de mãos dadas à instituição desde sua construção, passando pela consolidação do espaço como referência cultural mineira, até a reinvenção digital que compreende a realidade atual, o Palácio das Artes comemora sua chegada ao cinquentenário.

 

>>INFORMAÇÕES GERAIS<<

 O quê? História Permanente do Cinema Especial
 Quando? 15/06
 Entrada? Gratuita
 Informações para o público (31) 3236-7400