Carregando...
DIARTNotícias

Coral Lírico e Orquestra Sinfônica convidam artistas argentinos para celebrarem os 100 anos de Astor Piazzolla

Com uma produção inédita e emocionante, a Fundação Clóvis Salgado celebra o centenário de Astor Piazzolla, um dos principais artistas da música argentina a partir da segunda metade do século XX. De forma remota, os integrantes do Coral Lírico de Minas Gerais (CLMG) e da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais (OSMG) convidam o bandoneonista Danilo Cernotto e o marionetista Catin Nardi para o vídeo dedicado à canção “Verano Porteño”, primeira parte da obra “As quatro estações portenhas”, composição de Astor Piazzolla. O vídeo vai ao ar no dia 27 de junho de 2021 (domingo), às 10h, pelas páginas da Fundação Clóvis Salgado no Instagram e no Facebook. A produção possui direção musical do Maestro Titular da OSMG, Silvio Viegas, e da Maestrina Associada ao CLMG, Lara Tanaka, além de arranjo especial feito pelo pianista do CLMG, Fred Natalino.

Se estivesse vivo, Astor Piazzolla, um ícone que ultrapassou as fronteiras da argentina, comemoraria 100 anos de idade, no último dia 11 de março. “Piazzolla é muito mais do que um simples artista de tango. Ele é um compositor completo, que escreveu também operetas e obras para orquestras. Foi um músico que estudou com grandes mestres da Escola Europeia e que, ao mesmo tempo, descobriu na linguagem de sua origem a verdadeira originalidade. Desta forma, com o Piazzola, o tango deixa de ser uma dança, uma milonga, uma canção, para se tornar algo muito mais rico do ponto de vista harmônico, instrumental e do discurso”, explica Silvio Viegas.

Diante do vasto repertório de Astor Piazzolla, a escolha em interpretar “Verano Porteño”, primeira parte da obra “As quatro estações portenhas”, ocorreu por ser uma música conhecida pelo grande público e também por já ter um arranjo para orquestra e coro.  “O maior desafio foi encontrar uma obra representativa que já tivesse um arranjo para o coral. E, durante o processo, utilizamos esse arranjo inicial como base para a criação do arranjo final feito pelo Fred Natalino”, revela Silvio. Lara Tanaka, Maestrina Associada ao CLMG, completa: “Essa peça é extremamente bem escrita, não é fácil de interpretar e tem um suingue muito bom. E já integrava o repertório do Coral Lírico”.

 

Intercâmbio entre Argentina e Brasil

Quando se pensa na relação entre Brasil e Argentina, é comum lembrar-se da rivalidade no futebol existente entre os dois países vizinhos. No entanto, a disputa fica somente no campo esportivo, pois no universo das artes, sobretudo na música, as parcerias entre os irmãos sul-americanos são marcadas por importantes diálogos e encontros, como Mercedes Sosa com Milton Nascimento nas interpretações das canções “Volver a los 17” e “San Vicente”, além de Astor Piazzolla com Tom Jobim, quando os dois artistas participaram de uma edição do programa Chico & Caetano, apresentado por Chico Buarque e Caetano Veloso, na TV Globo, em 1986.

E para escrever mais um capítulo na história desse intercâmbio artístico entre argentinos e brasileiros, a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e o Coral Lírico de Minas Gerais decidiram que os convidados para homenagear Astor Piazzolla precisavam ser argentinos. Um deles é o marionetista Catin Nardi, radicado em Minas Gerais desde o início da década 1990. De maneira lúdica, ele trouxe o personagem de Piazzolla para o vídeo “Verano Porteño”, ao manipular o boneco que representa o compositor argentino. “Por volta de 1986 eu presenciei o Piazzolla junto com o seu Quinteto tocando no Teatro Municipal de Santa Fe, na Argentina, e fiquei impactado. Foi uma experiência muito marcante para mim, que me inspirou a registrar a música desse gênio”, relembra Catin.

Foi a partir desse show que Catin teve a ideia de criar o boneco de Piazzolla, que integra o espetáculo POCKET SHOW, da Companhia Teatro Navegante, ao lado de personagens como “Tom Jobim” e o dançarino contemporâneo “Kazuo Ohno”. Durante o espetáculo, as marionetes navegam num tempo poético por diversas culturas do mundo apresentando coreografias, performances e cenas. “No número que faço com o boneco do Piazzolla, no espetáculo, eu falo de uma fronteira que não existe entre brasileiros e argentinos, mas que tem sido imposta e alimentada nas três últimas décadas por causa do futebol. Querem transformar uma rivalidade entre dois dos melhores times de futebol do mundo em inimizade. Então, esse número não é somente ilustrativo, pois traz toda uma reflexão sobre a xenofobia”, explica.

Já o outro convidado do vídeo é o bandoneonista Danilo Cernotto, morador de Santa Fe, que já se apresentou junto com o Maestro Silvio Viegas. Danilo, ao tocar o mesmo instrumento com o qual Piazzolla marcou história, em certa medida, dá continuidade ao legado musical deixado pelo mestre argentino.

“Quando vi o resultado final da nossa gravação senti uma emoção profunda de ter compartilhado a linguagem universal da música com pessoas de outros países, no caso, com os meus queridos irmãos brasileiros. Foi um grande prazer e espero que, após a pandemia, eu possa conhecer pessoalmente os músicos da Orquestra Sinfônica e do Coral Lírico para que juntos façamos música ao vivo”, revela Danilo.

O vídeo “Verano Porteño”, do Coral Lírico de Minas Gerais e da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, integra o projeto #PalácioEmSuaCompanhia e é realizado pelo Governo de Minas Gerais, através da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, pela Fundação Clóvis Salgado, e correalizado pela APPA – Arte e Cultura. É patrocinado pela Cemig e Unimed-BH / Instituto Unimed-BH¹, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, além da Usiminas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, com apoio do Instituto Usiminas.

O vídeo “Verano Porteño”, do Coral Lírico de Minas Gerais e da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, integra o projeto #PalácioEmSuaCompanhia e é realizado pelo Governo de Minas Gerais / Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, pela Fundação Clóvis Salgado, e é correalizado pela APPA – Arte e Cultura. É patrocinado pela Cemig e Unimed-BH / Instituto Unimed-BH¹, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, além da Usiminas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, com o apoio do Instituto Usiminas.

¹ O patrocínio da Unimed-BH e do Instituto Unimed-BH é viabilizado pelo incentivo de mais de 5,2 mil médicos cooperados e colaboradores.

 

Catin Nardi – Marionetista, ator-manipulador e diretor do Teatro Navegante de Marionetes. Licenciado em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Ouro Preto, em Minas Gerais. Dedicado integralmente ao teatro desde 1981, é especialista em teatro de bonecos e já ganhou várias bolsas de estudo em Teatro e Teatro de bonecos. Desenvolve trabalhos com bonecos para Televisão. Trabalhou em importantes produções televisivas da Rede Globo de TV, como “As Filhas da Mãe” e “Hoje é Dia de Maria”. Apresenta seus Espetáculos, exposições e oficinas nos festivais, teatros e circuitos culturais mais importantes do Brasil, da Argentina e da Itália.

Danilo Cernotto – Nascido em San Justo, na Província de Santa Fe, na Argentina, Danilo é graduado como professor de música no Instituto Superior de Música do Universidade Nacional do litoral da cidade de Santa Fe. Discípulo de um dos grandes mestres do tango, Rodolfo Mederos, foi se aperfeiçoando com outros professores renomados, como Julián Peralta, Nicolas Ledesma, Ramiro Gallo, Diego Schissi, Federico Pereiro, Hernan Possetti, entre outros. Danilo Cernotto também já tocou ao lado de músicos de renome internacional, como Paquito D’Rivera; Fabian Bertero; Lidia Borda e Guiller Fernandez. Além disso, o artista já participou de importantes eventos de música. Festival Internacional “Tango Nuestro por el Mundo”, em Quito, no Equador, e o Encontro Internacional no Festival em Pequim, na China, são alguns dos exemplos.

Orquestra Sinfônica de Minas Gerais – Considerada uma das mais ativas do país, a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais cumpre o papel de difusora da música erudita, diversificando sua atuação em óperas, balés, concertos e apresentações ao ar livre, na capital e no interior de Minas Gerais. Criada em 1976, foi declarada Patrimônio Histórico e Cultural do Estado de Minas Gerais em 2013. Participa da política de difusão da música sinfônica promovida pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado, a partir da realização dos projetos Concertos no Parque, Concertos Comentados, Sinfônica ao Meio-dia, Sinfônica em Concerto, além de integrar as temporadas de óperas realizadas pela FCS. Mantém permanente aprimoramento da sua performance executando repertório que abrange todos os períodos da música sinfônica, além de grandes sucessos da música popular. Seu atual regente titular é Silvio Viegas.

Coral Lírico de Minas Gerais – O Coral Lírico de Minas Gerais é um dos raros grupos corais que possui programação artística permanente e interpreta repertório diversificado, incluindo motetos, óperas, oratórios e concertos sinfônico-corais. Participa da política de difusão do canto lírico promovida pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado (FCS), a partir da realização dos projetos Concertos no Parque, Lírico Sacro, Sarau ao Meio-dia e Lírico em Concerto, além de concertos em cidades do interior de Minas e capitais brasileiras, com entrada gratuita ou preços populares. Participa também das temporadas de óperas realizadas pela FCS. Já estiveram à frente do Coral os maestros Luiz Aguiar, Marcos Thadeu, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Ângela Pinto Coelho, Eliane Fajioli, Sílvio Viegas, Charles Roussin, Afrânio Lacerda, Márcio Miranda Pontes, Lincoln Andrade e Lara Tanaka. Criado em 1979, o Coral Lírico de Minas Gerais tornou-se Patrimônio do Estado em 2018 e comemorou quarenta anos em 2019.

Informações

Local

Exibição nas Mídias Sociais da Fundação Clóvis Salgado | facebook.com/fundacaoclovissalgado e no Instagram (@fcs.palaciodasartes)