Carregando...
DIPRONotícias

Mostra OS MISTÉRIOS DE JACQUES TOURNEUR

A Fundação Clóvis Salgado, por meio do Cine Humberto Mauro, apresenta a mostra inédita Os Mistérios de Jacques Tourneur, que contempla marcos cinematográficos do diretor entre as décadas de 1940 e 1960. Nascido na França, o cineasta teve grande carreira nos Estados Unidos, com filmes de baixo orçamento de diversos gêneros. A curadoria da mostra contempla a versatilidade das produções de Tourneur: além dos filmes do gênero terror, destaques na carreira do diretor, as sessões contarão com obras policiais, noir, melodramas, de aventura e faroeste. A mostra conta com 23 longas-metragens, que serão exibidos no Cine Humberto Mauro do dia 6 agosto de 2021 até o dia 8 de setembro de 2021.

Quatro longas que fazem parte das sessões presenciais também permanecerão em cartaz de forma contínua e gratuita na plataforma exclusiva CineHumbertoMauroMAIS, de 13 de agosto de 2021 até 8 de setembro de 2021. São eles Sangue de Pantera (1942), Paixão Selvagem (1946), Fuga do Passado (1947) e o clássico recentemente exibido na mostra on-line Cults do Terror, A Noite do Demônio (1957). Durante a mostra, a programação do Cine Humberto Mauro também contará com exibições da série Itinerância do 22º FESTCURTAS BH e da mostra Cinema e Patrimônio: Cozinha Mineira, além de um debate especial da sessão Cinema e Psicanálise. Os bate-papos serão realizados pelo Canal da FCS no YouTube e poderão ser acessados também pela plataforma, através de link disponibilizado na aba “ao vivo”.

ACESSE AQUI A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA MOSTRA

ACESSE AQUI AS SINOPSES DOS FILMES 

A Noite do Demônio (1957)

Simbologia do oculto – Segundo Vitor Miranda, da Gerência do Cine Humberto Mauro, o trabalho de Jacques Tourneur possui como ponto comum as narrativas com elementos misteriosos, que exploram o invisível e o oculto. “O diretor utiliza com frequência a elipse, um recurso narrativo temporal em que sabemos que algo aconteceu, mas aquilo não nos é mostrado”, explica Miranda. Tourneur é considerado um diretor com apelo popular, tendo produzido diversos longas-metragens de baixo orçamento. Por vezes construía personagens imersos em uma narrativa de questionamentos antagônicos acerca do que é real e do que é fantasia, constantemente em confronto com a própria realidade.

O início da carreira de Tourneur é marcado por grandes clássicos do terror – tendo sido esse o gênero de maior destaque na produção cinematográfica do diretor: a trilogia Sangue de Pantera (1942), O Homem Leopardo (1943) e A Morta Viva (1943), com produção de Val Lewton e feitos pelo lendário Estúdio RKO Pictures, fez enorme sucesso. Os longas eram um forte contraponto aos filmes de terror da Universal Estúdio, que se especializou em produções cinematográficas de terror que exploravam a figura de grandes monstros e personagens icônicos da literatura, como Conde Drácula e Frankenstein.

A mostra conta com uma grande variedade de gêneros inscritos nos longas dirigidos por Tourneau. Além da trilogia mencionada, a programação conta com Paixão Selvagem (1946), Fuga do Passado (1947), Expresso Para Berlim (1948), O Testamento De Deus (1950), A Vingança Dos Piratas (1951), O Gaúcho (1952), Choque De Ódios (1955), Pelo Sangue De Nossos Irmãos (1956), Monstros Da Cidade Submarina (1965), Farsa Trágica (1963), Fabricantes Do Medo (1958), Quando A Neve Voltar A Cair (1944), O Gavião E A Flecha (1950), Círculo de Ferro (1951), A Maleta Fatídica (1957), Almas Selvagens (1953), Tormento De Uma Glória (1949), O Cavaleiro Misterioso (1955) e Timbuktu (1959).

Nos filmes de Tourneur, o baixo orçamento potencializou as marcas registradas do diretor: o medo é constantemente sugerido, e surge em lugares em que não é esperado. Com grande uso dramático das luzes e sombras, e com narrativas que exploram temas exóticos e os mistérios de países estrangeiros, o cineasta possuía um forte apelo ao desconhecido, e construía narrativas de suspense e terror psicológico. Nos seus filmes de faroeste, uma característica marcante é a construção de seus protagonistas como figuras misteriosas e o retrato de uma sociedade muitas vezes corrompida e com diversas ambiguidades morais.

A Vingança Dos Piratas (1951)

Após o lançamento de diversos trabalhos nos mais variados gêneros, em que demonstrou grande capacidade de concisão narrativa, Tourneur volta de forma marcante ao gênero terror com o cultuado A Noite do Demônio (1957), com narrativa que gira em torno de um psicólogo que busca desmascarar um líder de uma seita demoníaca. Segundo Miranda, muitas vezes, a partir de filmes como A Noite do Demônio, a indústria cinematográfica realizou mais experimentações que foram incorporadas posteriormente pelo cinema mainstream.

Governo de Minas Gerais e a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado, apresentam a Mostra Os Mistérios de Jacques Tourneur. A mostra tem a correalização da APPA – Arte e Cultura, patrocínio máster da CemigAngloGold Ashanti e Unimed-BH / Instituto Unimed-BH¹, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, e patrocínio ouro da Codemge – Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais.

¹ O patrocínio da Unimed-BH / Instituto Unimed-BH é viabilizado pelo incentivo de mais de cinco mil médicos cooperados e colaboradores.

Jacques Tourneur (1904 – 1977) – Diretor francês que realizou a maior parte de sua carreira em Hollywood, e obteve nacionalidade americana em 1919. É conhecido pelos clássicos noir e pelas séries de filmes de terror de baixo orçamento. Enquanto viveu nos EUA, era geralmente referido como “Jack Turner”.

>>INFORMAÇÕES GERAIS<<

 O quê? Mostra “Os Mistérios de Jacques Tourneur”
 Quando? 06/08 – 08/09
 Entrada? Gratuita
 Informações para o público (31) 3236-7400