Carregando...
DIPRONotícias

O Assustador Hitchcock

A Fundação Clóvis Salgado, por meio do Cine Humberto Mauro, realiza a mostra O Assustador Hitchcock, que exibe, entre os dias 26 e 31 de outubro, 5 filmes de suspense marcantes da carreira de um dos realizadores mais célebres do cinema. O público também terá acesso, pela Plataforma CineHumbertoMauroMAIS, à versão digital do catálogo da mostra retrospectiva Hitchcock é o Cinema, realizada pela Fundação Clóvis Salgado em 2013. A programação conta com os longas Festim Diabólico (1948), Disque M Para Matar (1954), Psicose (1960), Os Pássaros (1963) e Frenesi (1972). Todos os eventos do Cine Humberto Mauro possuem entrada gratuita, e os ingressos serão distribuídos durante o horário de funcionamento da bilheteria, no dia de cada sessão, com lotação máxima do cinema de 44 lugares, além de dois espaços reservados para cadeirantes, garantindo o distanciamento do público.

 

ACESSE AQUI A PROGRAMAÇÃO COMPLETA E AS SINOPSES DOS FILMES

Festim Diabólico (1948)

Inovador e incontestável – A notabilidade de Hitchcock é tão grandiosa que, mesmo falecido em 1980, permanece até hoje amplamente reconhecido como um dos nomes mais influentes e relevantes da história da sétima arte. Trazendo diversas inovações para a linguagem cinematográfica, o britânico foi eleito o segundo melhor diretor de cinema de todos os tempos pela British Film Institute. “A importância de Hitchcock para a história do cinema mundial é incontestável. Ele firmou-se como uma figura popular da cultura do século XX, mas soube também trabalhar a sua imagem e criar uma aura de encanto para a sua personalidade, desenvolvendo modos e processos de linguagem inovadores, que potencializaram a narrativa dos seus filmes”, explica o Gerente do Cine Humberto Mauro, Bruno Hilário.

Original e revolucionário, o diretor rodou cerca de 53 filmes. Todavia, foram as décadas de 1950 e 1960 que consagraram Hitchcock a maior referência do cinema de terror e suspense. Suas técnicas inovadoras que prendem o espectador, perpetuaram memórias, arrepiando e emocionando os amantes da sétima arte. “O trabalho preciso de enquadramento, o movimento de câmera que ressalta aspectos sensoriais da narrativa, a trilha sonora marcante e, claro, as atuações impecáveis, são assinatura singular e facilmente reconhecíveis de seu trabalho”, cita Hilário.

Segundo Bruno, além de inovador, o cineasta foi ousado e audacioso em um universo cinematográfico hollywoodiano, que possuía um único modelo pré-estabelecido. “O diretor chega a Hollywood desafiando os modelos de produção existentes. É possível afirmar que Hitchcock foi extremamente sagaz na sua afirmação como autor e conseguiu imprimir uma identidade estética para a sua obra, em um contexto de realização dominado pela indústria. Este reconhecimento foi fundamental para a crítica cinematográfica francesa, que na segunda metade do século, elegeu o cineasta como um dos principais autores da história do cinema mundial”, completa o Gerente.

 

Frenesi (1972)

O Mestre do Suspense – A programação da mostra conta com 5 filmes icônicos do diretor, que comprovam com plenitude a razão de Hitchcock ser considerado o Mestre do Suspense. “Os filmes que estamos apresentando representam o auge da carreira do diretor, podendo ser considerados os mais assustadores de sua carreira”, explica Hilário.

A mostra tem início na terça-feira (26), com as exibições de Festim Diabólico (1948), às 16h, e Disque M Para Matar (1954), às 18h30. Já na quarta-feira (27), conta com os longas Psicose (1960), às 16h, e Os Pássaros (1963), às 18h30. Na quinta-feira, serão exibidos Frenesi (1972), às 16h, além de Festim Diabólico (1948), às 19h. A sexta-feira conta com Disque M Para Matar, às 16h, e Psicose (1960) às 19h. O final de semana também é agitado e exibe no sábado (30), Os Pássaros (1963), às 16h e Frenesi (1972), às 19h. A mostra encerra-se no domingo (31), Dia das Bruxas, com a exibição do clássico e renomado Psicose (1960), às 18h. “Inúmeros filmes do gênero de terror e suspense alimentaram-se bastante destas obras que iremos exibir. Talvez Hitchcock tenha sido um dos diretores que mais mergulhou no contraditório e assustador universo dos desejos humanos”, finaliza Bruno Hilário.

 

Psicose (1960)

Governo de Minas Gerais e a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado, apresentam a Mostra O Assustador Hitchcock. A mostra tem a correalização da APPA – Arte e Cultura, patrocínio máster da CemigAngloGold Ashanti e Unimed-BH / Instituto Unimed-BH¹, por meio das Leis Estadual e Federal de Incentivo à Cultura, e patrocínio ouro da Codemge – Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais.

¹ O patrocínio da Unimed-BH / Instituto Unimed-BH é viabilizado pelo incentivo de mais de cinco mil médicos cooperados e colaboradores.

A Fundação Clóvis Salgado é integrante do Circuito Liberdade, complexo cultural sob gestão da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) que reúne diversos espaços com as mais variadas formas de manifestação de arte e de cultura em transversalidade com o turismo. Trabalhando em rede, as atividades dos equipamentos parceiros ao Circuito buscam desenvolvimento humano, cultural, turístico, social e econômico, com foco na economia criativa como mecanismo de geração de emprego e renda, além da democratização e ampliação do acesso da população às atividades propostas.

 

>>INFORMAÇÕES GERAIS<<

O quê? O Assustador Hitchcock
 Quando? 26/10 a 31/10
 Onde? Cine Humberto Mauro
 Entrada? Gratuita
 Informações para o público (31) 3236-7400