Carregando...
Cultura

O MODERNISMO MINEIRO: 100 ANOS DEPOIS, MINAS CONTINUA PRESENTE

A Semana de Arte Moderna de 1922 deixou um forte legado em Minas Gerais e, principalmente, em Belo Horizonte, pois a Caravana Modernista viria a aportar na jovem capital mineira no ano de 1924.

Para Belo Horizonte, vieram os principais protagonistas do Modernismo Brasileiro, com destaque para Mário de Andrade, Oswaldo de Andrade e Anita Mafaltti. O Grupo veio para Minas para conhecer as festividades da Semana Santa mineira e visitaram as cidades históricas de Sabará, Congonhas, Ouro Preto e Mariana. Durante a estada do Grupo em Belo Horizonte, eles se encontraram com os modernistas mineiros, entre eles os jovens poetas Carlos Drummond de Andrade e Emílio Moura, o memorialista Pedro Nava, o advogado Milton Campos, que, anos depois, viria a governar o Estado, entre muitos outros nomes de destaque no cenário cultural mineiro.

A capital de São Paulo foi o palco desse amplo movimento artístico, intelectual e cultural que culminou na Semana de Arte Moderna de 1922. O movimento agregou artistas do Rio de Janeiro, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Minas Gerais, além de alguns estrangeiros que acabaram vindo morar no Brasil.

Durante todo o ano de 2022, acontecerá o evento “O Modernismo em Minas Gerais”, com vasta e diversificada programação cultural, comemorando a Semana de 1922 e sua influência no cenário artístico mineiro nos último cem anos. 

Ciclo de debates, concertos sinfônicos, mostra fotográfica, sarau modernista, espetáculo musical, minienciclopédia virtual, mostra de cinema, documentário, espetáculo de dança, livro sobre Minas e o modernismo e espetáculo teatral estão entre as ações previstas.

Os eventos podem ser conferidos presencialmente ou de forma virtual. Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro dos dias e horários de cada ação.

Instagram: @appaarteecultura
Facebook: appaarteeecultura

“O Modernismo em Minas Gerais” é uma iniciativa da Fundação Clóvis Salgado, Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, Governo do Estado de Minas Gerais, em parceria com o Ministério Público do Estado de Minas Gerais. A correalização é da APPA e o patrocínio master é da Cemig, Arcelor Mittal, AngloGold Ashanti, Unimed-BH, Instituto Unimed-BH e Usiminas. Apoios viabilizados pelo Fundo Especial do Ministério Público de Minas Gerais (FUNEMP), pela Lei Federal de Incentivo à Cultura e Lei Estadual de Incentivo à Cultura.