Carregando...
Iepha/MG

PROGRAMA DE PROTEÇÃO DA CULTURA AFRO EM MINAS GERAIS TERÁ SEGUNDA RODADA EM BH

Com o tema central de Afromineiridades, o Programa de Proteção da Cultura Afro em Minas Gerais contará com uma nova sessão, totalmente online, no dia 27 de abril. Dessa vez o público vai poder participar do seminário intitulado “Registro das comunidades quilombolas em contexto urbano em Minas Gerais como Patrimônio Cultural Imaterial”.

Dentro dessa programação, acontecerá uma mesa temática e um fórum de discussão que objetivam aprofundar a reflexão sobre a contribuição dos grupos negros na formação sociocultural de Minas Gerais.

A mesa temática com o título “As comunidades quilombolas em contexto urbano em Minas Gerais” acontecerá das 9h30 às 11h30.  As convidadas serão Mirian Aprígio (Comunidade de Mangueiras); Josemeire Alves Pereira (quilombola e historiadora);  Makota Kidoiale (Comunidade Quilombola Manzo Nigunzo Kaiango). A mediação ficará por conta de Nicole Martins (Iepha-MG).

Das 14h às 16h30, acontecerá o fórum de discussão – um momento de escuta para Salvaguarda. Trata-se de uma reunião ampliada com representantes e lideranças das comunidades quilombolas em contexto urbano em Minas Gerais e técnicos do Iepha-MG para debater os caminhos do reconhecimento e registro do segmento como Patrimônio Cultural Imaterial de Minas Gerais.

A mesa temática estará aberta ao público com transmissão pelo Canal do YouTube da Secretaria de Cultura e Turismo de Minas Gerais. Já para o fórum de discussão, é necessário realizar inscrição pela Sympla. Os ingressos são limitados.

AFROMINEIRIDADES

O Projeto Afromineiridades é uma importante iniciativa do Governo do Estado de Minas Gerais, por meio do Iepha-MG, para compreender e reconhecer a complexidade das contribuições dos grupos de matriz africana que formam as culturas mineiras.

A partir do Programa de Valorização da Cultura Afro em Minas Gerais, o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG) propõe uma série de eventos, debates e interações com lideranças políticas, intelectuais negros, comunidades quilombolas e povos de terreiro. O objetivo é possibilitar caminhos para melhor entendimento dos conhecimentos afromineiros que trazem especificidades em relação aos saberes especializados, manifestações culturais, cosmovisões e modos de vida específicos.

Trata-se de um momento ímpar para escuta e diálogo com mestres e mestras das culturas provenientes da ancestralidade africana de modo a balizar e criar novas estratégias para as ações de reconhecimento e salvaguarda do patrimônio cultural de Minas Gerais.

O Programa está dividido em quatro ações que ocorrerão até junho de 2022, sendo elas:

  1. Lançamento do Programa de Valorização da Cultura Afro em Minas Gerais – Afromineiridades;
  2. Seminário sobre a proposta de Registro dos Congados e Reinados de Minas Gerais como Patrimônio Cultural Imaterial;
  3. Seminário sobre a proposta de Registro das Comunidades Quilombolas em contexto urbano de Minas Gerais como Patrimônio Cultural Imaterial;
  4. Seminário sobre a proposta de Mapeamento dos Povos e Comunidades de Terreiro de Minas Gerais.

 

Programação – 27 de abril

Mesa temática

9h30 às 11h30

Local: atividade virtual aberta ao público – canal da Secult no YouTube  www.youtube.com/c/SecretariadeCulturaeTurismodeMinasGerais

 

Fórum de Discussão

14h às 16h30 Fórum de escuta para Salvaguarda

Local: plataforma virtual. Ingressos pela Sympla.

 

Informações: (31) 3235-2881