Carregando...
Cultura

TONINHO HORTA: ÍCONE DO JAZZ EM BH

O Dia Internacional do Jazz é celebrado em 30 de abril. A data foi criada pela UNESCO e anunciada pelo pianista e embaixador da Boa Vontade da UNESCO, Herbie Hancock. Nascido nos EUA, o Jazz é um estilo musical livre, estruturado na criatividade e improvisação.

Instituído em 2011, foi em 2012 que se celebrou pela primeira vez o Dia Internacional do Jazz. A comemoração tem como objetivo lembrar a importância do gênero musical e a sua contribuição na promoção de diferentes culturas e povos ao longo da história. O Jazz está associado à luta pela liberdade e à abolição da escravatura nos EUA.

Em 1964, no Festival de Jazz de Berlim, Martin Luther King Jr. falou sobre o papel decisivo do Jazz na construção de um sentimento de identidade para os afro-americanos e tantas outras pessoas de todo o mundo: “O jazz fala pela vida (…). Quando a vida não oferece ordem ou significado, o músico os cria a partir dos sons da terra que fluem através do seu instrumento”. 

O Jazz é uma explosão de beleza nascida da opressão. É a música da improvisação e da criação coletiva. Na sua essência, a liberdade e a abertura permitem que seja adotado por culturas de todo o mundo, enriquecidas pelas tradições musicais e pelas notas particulares de cada uma delas. O Jazz dá voz às lutas e aspirações de milhões de pessoas e constitui um símbolo único de liberdade de expressão e de dignidade humana. Em momento de crescente discórdia e divisão, o Jazz representa uma linguagem universal de paz e confraternização. 

Para promover o Dia Internacional do Jazz, mais de 180 países ao redor do mundo celebram em eventos oficiais a data, com vários concertos de Jazz, promovidos por escolas, grupos e músicos, com o intuito de apresentar à população este gênero musical. 

Em Minas Gerais, o Dia Internacional do Jazz é promovido pelo guitarrista e compositor Toninho Horta, com programação diversificada, sempre gratuita. 

Dia Internacional do Jazz em Belo Horizonte

Desde o ano de 2016, a capital mineira vem comemorando o Dia Internacional de Jazz, com eventos promovidos pelo compositor Toninho Horta, por meio do o IMJH – Instituto Maestro João Horta. 

Por iniciativa de Toninho Horta e de seu Instituto, a Câmara Municipal de Belo Horizonte reconheceu a data oficialmente em Belo Horizonte no ano de 2017, por proposta apresentada pelo vereador Gilson Reis.  

Desde então, Toninho Horta vem promovendo regularmente eventos comemorativos, reunindo músicos, pesquisadores, produtores, em shows, jam sessions e mesas redondas com debates sobre o tema. 

Sobre o Jazz, Toninho declara que ele é “o som da liberdade. O som da criatividade. O som da diversidade.  Viva o Jazz!”

Por sua iniciativa de celebrar o Dia do Jazz em Belo Horizonte, Toninho Horta foi reconhecido pelo Herbie Hancock Institute como mais um associado ao redor do mundo a celebrar a data. Sobre o pioneirismo da iniciativa, Toninho lembra que tem, além da ligação artística com o Jazz, a ligação familiar e afetiva, pois seu irmão mais velho, o contrabaixista profissional Paulo Horta, falecido em 2002, “foi um dos precursores do Jazz em Belo Horizonte. Em 1950, ele criou aqui o Jazz Fan Club, na rua Pouso Alegre, já chegando na Lagoinha, em frente à casa da nossa família, a casa em que nasci, de parteira.

O Club foi criado juntamente com o Donato Donatti, que era teatrólogo, um homem ligado ao mundo das artes, e a família do Donatti participava ativamente de tudo. Depois vieram os festivais de Jazz dos anos 1960. Aí foi um processo natural, pois minha carreira conquistou dimensões internacionais e veio essa ligação com músicos ao redor do mundo, sempre marcando presença em Belo Horizonte. Então, quando pensamos no evento Dia Internacional do Jazz e o realizamos, colocamos Belo Horizonte ao lado das cidades que celebram a data, compondo um calendário mundial, sendo divulgado e reconhecido oficialmente pela UNESCO.

Isso tudo se redimensiona com a realização de um evento inclusivo, educativo, sem fins lucrativos, que tem a produção do Instituto Maestro João Horta, que mesmo diante de todas as adversidades, não mede esforços para reunir músicos, pesquisadores e amantes do Jazz para celebrar, debater e festejar a data”.

Neste ano, Toninho Horta e o Instituto Maestro João Horta irão comemorar o Dia Internacional do Jazz com uma live, nesta sexta-feira, dia 29 de abril, lançando o curso Guitarras em Harmonia, o primeiro curso da Academia de Música de Toninho Horta. O lançamento começará às 18h, e poderá ser acessada pelo link: www.facebook.com/brazilianguitar2020

Origem do Jazz

O Jazz teve origem nos Estados Unidos, por meio da comunidade afro-americana no século XIX, tendo se popularizado nas primeiras décadas do século XX. New Orleans é reconhecida como a cidade em que nasceu o Jazz. Acredita-se que a palavra Jazz advém de uma gíria norte-americana.

Miles Davis, Chet Baker, Billie Holiday, Ella Fitzgerald, Nina Simone, John Coltrane, Louis Armstrong, Edward Ellington e Dizzy Gillespie são alguns dos grandes nomes da história universal do jazz.