Carregando...
Patrimônio Cultural

APPA PROMOVE SEMINÁRIO PARA INÍCIO DE AÇÕES PATRIMONIAIS NO REAL FORTE PRÍNCIPE DA BEIRA

Seminário “Real Forte Príncipe da Beira: Patrimônio Cultural, Perspectivas e Abordagens”

 22/06/2022 às 18h30

Link para participação: meet.google.com/grx-dmmf-fft

No próximo dia 22 de junho, a APPA – Arte e Cultura realiza um seminário na modalidade virtual para iniciar as discussões sobre as ações patrimoniais de consolidação, restauração e intervenções contemporâneas no Real Forte Príncipe da Beira, localizado na cidade de Costa Marques, na fronteira da Bolívia, em Rondônia. O Forte é tombado como monumento estadual e nacional pelo IPHAN, sob a guarda do Exército Brasileiro. O evento vai contar com uma discussão sobre intervenções contemporâneas em sítios de patrimônio cultural em ruínas, com a presença de especialistas capacitados na área. A intenção é compreender o percurso e a situação atual do bem, assim como levantar as possibilidades e perspectivas futuras.  

A APPA já atua no norte do país na Fortaleza de São José de Macapá, no Amapá, onde estão sendo realizadas propostas de intervenções para a conservação, restauração e adequação de uso da Fortaleza. As iniciativas ainda contam com modernização do Museu da Fortaleza, sua revitalização e preservação.

Quanto ao Real Forte Príncipe da Beira, em Rondônia, ainda há discussões sobre a possibilidade de restaurá-lo, consolidar as ruínas e conciliar os usos atuais do Exército Brasileiro, requalificando o entorno e, potencialmente, transformando-o em ponto turístico. Um olhar valorativo para a questão patrimonial estimulará o desenvolvimento sustentável, a geração de emprego e renda, bem como o movimento do trade turístico. Os desafios para tais implementações serão apresentados e debatidos no Seminário do dia 22, assim como a compatibilização entre os interesses civis e militares. 

Na oportunidade, as discussões a respeito das intervenções serão aprofundadas e o evento pretende nortear os passos propostos para o Projeto Arquitetônico e Execução de Intervenções para o Real Forte Príncipe da Beira.

Entre os especialistas presentes no Seminário, estarão o Prof. Dr. Mário Mendonça de Oliveira (UFBA); o Arq. Francisco Santana (UFBA); a Profa. Dra. Maria Matilde Villegas Jaramillo; o Prof. Dr. Vladimir Fernando Stello, além do Prof. Dr. Marcos Albuquerque (ICOMOS/ICOFORT) e da Prof. Dra. Roseane Norat (ICOMOS/ICOFORT). A entidade ICOMOS- ICOFORT (UNESCO)  está ligada internacionalmente às discussões sobre patrimônio cultural e fortificações militares. O Forte está listado entre as 19 fortificações luso-brasileiras para o reconhecimento como Patrimônio da Humanidade.

A diretoria da APPA – Arte e Cultura e seu corpo técnico ligado às questões patrimoniais também estarão presentes.

MAPEAMENTO

No mês de abril, a equipe da APPA – Arte e Cultura realizou uma prospecção inicial no Real Forte Príncipe da Beira, a convite da Energisa. Em maio, a APPA voltou a campo, realizando no Forte a conferência in loco das pesquisas apuradas de todas as estruturas mapeadas. Nessa última visita, foram feitas avaliações e análises para embasar o projeto de revitalização.

Em julho, está programada visita ao Forte a fim de definir as ações que serão discutidas no Seminário próximo.

STAKEHOLDERS

Como entidades interessadas e decisórias das intervenções no Forte estão a Energisa; o IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Rondônia); o Exército Brasileiro; o Comando de Fronteira Rondônia; o 6° Batalhão de Infantaria de Selva; o 1° Pelotão Especial de Fronteira; o Quilombo Forte Príncipe da Beira; a APPA – Arte e Cultura e o Ministério Público Federal.

O FORTE

O Real Forte Príncipe da Beira é uma das maiores obras edificadas pela engenharia militar portuguesa no Brasil Colonial. Está localizado às margens do rio Guaporé, em Costa Marques, uma região estratégica para a defesa das fronteiras entre o Brasil e a Bolívia, disputadas por Espanha e Portugal no século XVII.

A obra foi entregue pelo Governador da Província de Mato Grosso, Luís Albuquerque de Mello Pereira e Cáceres, no ano de 1776. Na ata da cerimônia consta: “Dentro das muradas, estão as residências para o comandante e os oficiais, armazém e depósitos, latrinas, calabouço, enfermaria, distribuídos em 14 edificações”.

Após a Proclamação da República, foi abandonado em 1889 por cerca de 40 anos, sendo invadido pela floresta e saqueado. Em 1930, foi reencontrado pelo então Major Cândido Rondon, que retornou em 1931 e construiu as instalações da unidade militar – responsável por cerca de 500 km de fronteira ao lado das ruínas.

O Forte é um dos 19 monumentos históricos de defesa do sistema colonial e imperial implantado no território brasileiro. Icônico para o Estado de Rondônia, o Forte se constitui numa base militar do Exército do Brasil, onde encontra-se o 1° Pelotão de Fuzileiros de Selva Destacado, sob a jurisdição do 6° Batalhão de Infantaria de Selva, vinculado à 17a Brigada de Infantaria de Selva, sediada em Porto Velho.

PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO

18h30 – 18h35 – Abertura do Seminário – Arq. Deise Lustosa e Arq. Ms. João Pedro Otoni

18h35 – 18h40 – Fala Institucional – APPA – Sr. Xavier Vieira

18h40 – 18h45 – Fala Institucional – Energisa – Sr. Ivan Botelho

18h45 – 18h50 – Fala Institucional – Exército Brasileiro – General Novaes

18h50 – 19h00 – Apresentação do Sítio e Suas Complexidades – IPHAN – Dr. Leonardo Barreto

19h00 – 19h20 – Apresentação do Levantamento e Mapeamento de Danos – UFBA – Prof. Dr. Mário Mendonça de Oliveira e Arq. Francisco Santana

19h20 – 19h40 – O Real Forte Príncipe da Beira e as Fortificações Brasileiras – ICOMOS/ICOFORT – Prof. Dr. Marcos Albuquerque e Prof. Dra. Roseane Norat

19h40 – 20h00 – Gestão, Técnicas e Abordagens com Patrimônio em Ruínas: A Experiência nas Missões Jesuítico-Guaranis do Rio Grande do Sul– Profa. Dra. Maria Matilde Villegas Jaramillo e Prof. Dr. Vladimir Fernando Stello

20h00 – 20h25 – Perguntas e Respostas

20h25 – 20h30 – Encerramento do Seminário – Arq. Deise Lustosa e Arq. Ms. João Pedro Otoni