Carregando...
Cultura

SINFÔNICA AO MEIO-DIA e SINFÔNICA EM CONCERTO | Regência André Brant

FOTO: PAULO LACERDA

A Fundação Clóvis Salgado, por meio da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e em parceria com o XXVIII Festival Brasileiro de Trombonistas, realiza, nos dias 9 (terça-feira) e 10 de agosto (quarta-feira), a série Sinfônica ao Meio Dia e Sinfônica em Concerto. A regência do concerto fica por conta do maestro assistente da OSMG, André Brant, e conta com participações solo do trombonista inglês Mark Mulley (Trombone Tenor) e do colombiano Sebastian Cifuentes (Trombone Baixo). A programação conta com composições cujo foco são as performances musicais no trombone: Abertura Orfeu no Inferno, de Jacques Offenbach, Concertino para Trombone, de Ferdinand David, Batuque, de Lorenzo Fernandez, Concerto para Trombone Baixo, de Eric Ewazen e Finlândia, de Jean Sibelius.

Com classificação indicativa livre, as apresentações ocorrem no Grande Teatro Cemig Palácio das Artes, ao meio-dia do dia 9 de agosto (terça-feira), permitindo, no máximo, um par de ingressos por CPF. Já no dia 10 de agosto (quarta-feira), o repertório completo será apresentado em uma Noite de Gala, às 20h30, com ingressos a R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia-entrada). Os ingressos poderão ser adquiridos no site da Eventim ou na bilheteria do Palácio das Artes.

Governo de Minas Gerais e Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado, apresentam Sinfônica ao Meio Dia e Sinfônica em Concerto, que tem correalização da APPA – Arte e Cultura, patrocínio master da  ArcellorMittalCemig e AngloGold Ashanti, por meio das Leis Estadual e Federal de Incentivo à Cultura.

A Fundação Clóvis Salgado é integrante do Circuito Liberdade, complexo cultural sob gestão da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) que reúne diversos espaços com as mais variadas formas de manifestação de arte e de cultura em transversalidade com o turismo.

Repertório – O concerto tem início com a abertura da opereta Orfeu no Inferno, do compositor alemão Jacques Offenbach. A obra é uma versão satírica da saga mitológica de Orfeu e Eurídice, composta em 1858 com estreia em Paris. Primeiro grande sucesso de Offenbach, é marcada pela paródia da Antiguidade e da ópera barroca. Com melodias populares como o cancan, ressaltado na abertura interpretada no concerto, é uma obra que traduz o espírito humorístico da época.

Foto: Paulo Lacerda

A apresentação prossegue com a peça Concertino para Trombone, que conta com a participação especial do solista inglês Mark Mulley. A composição é do violinista alemão Ferdinand David, sendo uma peça frequentemente utilizada para audições de trombone para orquestras sinfônicas em todo o mundo. Já a obra Batuque, que dá continuidade ao concerto, faz parte da suíte sinfônica Reisado do Pastoreio, composta em 1930 por Lorenzo Fernandes. Batuque se destaca por uma orquestração rápida e obsessiva, marca das batidas típicas do que então se conhecia vulgarmente como “dança negra”, num estilo marcadamente modernista que já se manifestava na época.

Um dos destaques da apresentação fica com a interpretação da peça escrita pelo norte americano Eric Ewazen para trombone baixo e orquestra. A obra Concerto para Trombone Baixo será interpretada pelo solista colombiano Sebastian Cifuentes, e é considerada uma das composições mais complexas já feitas para o instrumento.

O concerto se encerra com a obra Finlândia, poema sinfônico escrito pelo compositor Jean Sibelius em 1899. A composição tem melodias crescentes e turbulentas, com forte presença do trombone. A peça foi produzida com o intuito de combater a censura do Império Russo, trabalhando a história da Finlândia e evocando a luta nacional daquele povo.

 O Festival – Com 25 edições de Festivais presenciais e duas on-line (2020/2021), em 2022 o XXVIII Festival da ABT acontece entre os dias 8 e 12 de agosto de 2022, em Belo Horizonte, no Conservatório de Música da UFMG.  O Festival abarca o XI Simpósio Científico da a Associação Brasileira de Trombonistas (ABT), a VII Conferência Pedagógica e o XI Concurso Radegundis Feitosa, conduzidos por vários professores nacionais e do exterior.

A Associação Brasileira de Trombonistas (ABT) foi criada em 1995, fruto da iniciativa de alguns professores e alunos, dentre os quais se destacam Gilberto Gagliardi (Conservatório de Tatuí), Radegundis Feitosa (UFPB), Paulo Roberto Lacerda (UFMG), Carlos Eduardo Mello (UNB), Isaac Leite (OSTCS), Alciomar Oliveira (UNB) e Paulo Roberto da Silva (EMB). A iniciativa busca a integração dos trombonistas brasileiros, difundindo conhecimento, criando um fórum anual de discussões cujo foco é a performance musical no trombone.

Programa

Abertura da ópera Orfeu no Inferno

Jacques Offenbach

Concertino para Trombone

Ferdinand David

Batuque

Lorenzo Fernandez

Concerto para Trombone Baixo

Eric Ewazen

Finlândia

Jean Sibelius

Orquestra Sinfônica de Minas Gerais (OSMG) –  A Orquestra Sinfônica de Minas Gerais foi declarada Patrimônio Histórico e Cultural do Estado de Minas Gerais. Em constante aprimoramento, cumpre o papel de difusora da música erudita na diversidade de sua atuação em óperas, concertos e apresentações na capital e interior do Estado. Além dos Concertos no Parque, Sinfônica ao Meio-dia e Sinfônica em Concerto, merece destaque o reconhecido programa Sinfônica Pop, que convida artistas da música popular brasileira para se apresentarem com a OSMG. Seu atual regente titular é o maestro Silvio Viegas, antecedido por Wolfgang Groth, Sérgio Magnani, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Aylton Escobar, Emílio de César, David Machado, Afrânio Lacerda, Holger Kolodziej, Charles Roussin, Roberto Tibiriçá e Marcelo Ramos.

André Brant – Natural de Belo Horizonte, André Brant formou-se bacharel em regência na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), na classe dos professores Charles Roussin e Silvio Viegas. Formou-se mestre em regência orquestral e correpetição na Hochschule für Musik (Escola de Música) de Dresden, na Alemanha, na classe de Christian Kluttig e de Stefen Leißner. Tem se destacado atualmente como regente e pianista acompanhador em produções operísticas, dentre as quais: “Cosi fan Tutte” de Mozart, “Falstaff” de Verdi, “Das Tapfere Schneiderlein” de Mitterer, “Hänsel und Gretel” de Humperdinck; “Livietta e Tracollo” de Pergolesi e “Rita” de Donizetti, “O Segredo de Susanna” de Wolf-Ferrari, “La Cambiale di Matrimonio” de Rossini dentre outras. Em 2014, foi bolsista do 45° festival de inverno de Campos de Jordão. Já realizou masterclasses de regência com renomados maestros dentre os quais: Jorma Panula, John Neschling, Robert Spano, Lanfranco Marceletti, Marin Alsop, Giancarlo Guerrero, Osvaldo Ferreira dentre outros. É o diretor musical da Cia Mineira de Ópera. Desde 2016 é professor e regente na Escola de Música do Cefart, onde atua como regente titular do Coral Infantojuvenil e da Orquestra Jovem, bem como coordena a disciplina Ópera Studio. Desde 2020 é o regente assistente da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais.

Mark Mulley – Iniciou seus estudos ainda criança, com formação na London College of Music e pós-graduação no Royal College of Music de Londres. Posteriormente, ensinou música no Richmond Adult College e na Brunel University. Trabalhou por oito anos como professor de trombone na The Royal Symphony Orchestra, em Omã. Foi Trombone Principal na Coldstream Guards Band, participando de diversas cerimônias, turnês e concertos. Integrou a Orquestra Sinfônica da BBC, a Philharmonia Orchestra, a Wren Orchestra, a Hanover Orchestre e a London Festival Orchestra em várias apresentações e gravações. Participou da Orquestra das Nações em turnê pela Alemanha, gravando a Sinfonia nº8 de Bruckner.

Sebastian Cifuentes – Trombonista da Orquestra Sinfônica Nacional da Colômbia, foi premiado com o segundo prêmio no Concurso Internacional de Trombone em Budapeste. Formado pela Pontificia Universidad Javeriana de Bogotá, Sebastian se apresentou com orquestras como Statkapelle Halle (Alemanha), Orquesta Sinfônica Provincial de Santa Fe (Argentina), Orquestra de la Academia del Teatro del Lago (Chile) e Orquestra de professores do festival FEMUSC (Brasil). Foi eleito para representar a Colômbia na Orquestra Mundial e também na Orquestra Latinoamericana de Vientos. Foi convidado para servir como professor na Semana Nacional del Trombón no México e na Trombonanza na Argentina. É membro do Big Jazz Bogotá, tendo participado de festivais de jazz em toda a Colômbia, além de membro da Asociación Colombiana de Trombonistas.

Local

Grande Teatro Cemig Palácio das Artes| Av. Afonso Pena, 1537. Centro. Belo Horizonte

Horário

9 de agosto, ao meio-dia

10 de agosto, ás 20h30

Informações para o público

(31) 3236-7400